Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Manifestações de fé e devoção de Norte a Sul do País

Quinta-feira Santa antecede a celebração da morte e ressurreição de Jesus.
Secundino Cunha 18 de Abril de 2019 às 08:55
Farricocos em Braga, na procissão do ‘Ecce Homo’, que se realiza hoje à noite
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
Farricocos em Braga, na procissão do ‘Ecce Homo’, que se realiza hoje à noite
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
Farricocos em Braga, na procissão do ‘Ecce Homo’, que se realiza hoje à noite
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
Semana Santa de Braga
As mais antigas e solenes procissões de quaresma são as que se realizam na Semana Santa de Braga.

A mais espetacular das procissões é a que se realiza hoje, a do Senhor ‘Ecce Homo’, em que os farricocos (figuras alegóricas dos antigos penitentes públicos, vestidos de túnicas negras, cingidas com uma corda, com a cabeça tapada) agitam as matracas e levam os fogaréus acesos. Percorre as ruas do centro histórico da cidade.

A procissão de sexta-feira Santa, do Enterro do Senhor, é mais triste, mais silenciosa, e os farricocos levam os fogaréus apagados e as matracas caladas. Tal como a de hoje, esta procissão é composta por mais de 700 figurantes.

Na vila do Sardoal, realiza-se hoje à noite a Procissão do Senhor da Misericórdia (ou Fogaréus), uma das mais emblemáticas manifestações religiosas da Semana Santa.

Esta Procissão decorre à luz das velas, archotes e candeias, com a iluminação da rede pública desligada nas principais ruas da vila, criando um ambiente místico, acentuado pelas marchas fúnebres interpretadas pela Filarmónica União Sardoalense. O cortejo integra o Sermão do Mandato, na Igreja do Convento de Santa Maria da Caridade.

Amanhã, sexta-feira Santa, também se realiza em Mafra uma grande procissão do Enterro do Senhor. É um cortejo que se desenvolve em profundo silêncio, destacando-se apenas os lamentos da Verónica e das Três Marias. Merecem destaque os monumentais pálios do Senhor Morto e do Santo Lenho.

Em Óbidos, no final da tarde de amanhã, tem lugar o ‘Auto do Descimento da Cruz’ uma celebração ancestral, que consiste na teatralização religiosa da retirada do Senhor da cruz. Tem lugar na Cerca do Castelo.

Já em Ourém e em Porto de Mós, os castelos acolhem a parte final das recriações históricas da via sacra, com dezenas de figurantes a acompanhar a crucificação de Jesus.

Papa quer uma "festa do perdão"
O Papa Francisco desafiou ontem os peregrinos a fazerem da Páscoa uma festa do perdão.

"Podemos pedir uma destas graças: viver os nossos dias para a glória de Deus, isto é, viver com amor; sabermos confiar-nos ao Pai nas provações, e descobrir no encontro com o Pai o perdão e a coragem de perdoar".

Bênção em Castelo de Vide
A Páscoa é uma época cumprida a rigor no calendário de Castelo de Vide. O Sábado de Aleluia começa, como já é habitual, com a bênção dos borregos junto à Igreja Matriz. Este é o momento alto das celebrações pascais naquele município alentejano.

Pela manhã, chegam a Castelo de Vide muitos lavradores com rebanhos para a tradicional bênção dos borregos e cordeiros. Ovelhas e cabritos também são benzidos. Os animais são depois vendidos na praça e a carne é preparada para o tradicional almoço de Páscoa, no Domingo de Ressurreição.

O cónego Tarcísio Alves recorda que "as pessoas tinham os seus gados e gostariam também que os animais se associassem à festa da Páscoa, por isso tiravam-lhes os guizos na Quaresma". "Como os animais não podiam vir à igreja, traziam os guizos para fazerem barulho em vários momentos da missa. E assim se associavam à alegria da Páscoa", referiu.

Os chocalhos tocam-se pela primeira vez na igreja, durante a celebração. Terminada a cerimónia, centenas de pessoas acompanham a banda filarmónica pelas ruas. "Percorrem algumas zonas da vila e fazem barulho, levam a alegria", lembrou o padre.

No almoço de Domingo de Ressurreição, Castelo de Vide opta pelo borrego. O cachafrito desta carne é o prato tradicional: a carne é temperada com três dentes de alho pisados com sal, colorau e vinho branco. Fica a repousar de um dia para o outro e depois é frita.

GNR reforça patrulhamento e apela à calma perante congestionamentos de trânsito
A GNR inicia hoje a ‘ Operação Páscoa’,que irá incidir nos principais acessos do litoral para o interior do País, devido à previsível "deslocação de inúmeras pessoas dos locais de residência habitual para as regiões de origem".

Para lá da especial atenção aos comportamentos de risco dos condutores, os militares estarão atentos a manobras perigosas, utilização indevida do telemóvel, condução sob efeito de álcool ou drogas e ao excesso de velocidade.

A GNR aconselha os condutores a efetuar "um planeamento cuidado das viagens, evitando o final do dia, a descansar a cada duas horas, à manutenção da calma perante congestionamentos e à adoção de uma condução defensiva".

PORMENORES 
Festa móvel
A Páscoa ocorre no primeiro domingo após a lua cheia seguinte ao Equinócio da Primavera. É uma festa móvel que este ano acontece um pouco mais tarde do que o habitual.

Rito do lava-pés
O rito do lava-pés representa uma imitação do gesto realizado por Cristo ao lavar os pés dos Apóstolos, mas é também a expressão do doar-se a si mesmo, exemplificada com aquele ato.

A cruz da via sacra
A via sacra consiste em percorrer espiritualmente o caminho de Jesus ao Monte Calvário enquanto carregava a Cruz, terminando com a sua crucificação.
Jesus Semana Santa de Braga Monte Calvário Pai Papa Francisco Senhor Morto Cruz sexta-feira Santa Páscoa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)