Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Mau tempo fecha estradas e condiciona aeroporto

O mau tempo na Madeira provocou esta terça-feira o fecho de estradas, devido a derrocadas e quedas de árvores, pequenas inundações e transbordo de ribeiros, o condicionamento do movimento aeroportuário e o cancelamento da escala de um navio de cruzeiro.
30 de Outubro de 2012 às 14:51
O mau tempo provocou algumas derrocadas
O mau tempo provocou algumas derrocadas FOTO: Homem de Gouveia/Lusa

O responsável do Serviço Regional da Protecção Civil, Luis Néri, disse ao final da manhã que as situações registadas em vários concelhos estavam "perfeitamente controladas pelos bombeiros e pelas câmaras" e que "não existem danos pessoais a registar".

A empresa Aeroportos da Madeira confirmou, numa nota distribuída na região, que, devido às condições atmosféricas adversas, divergiram para o Porto Santo (a outra ilha do arquipélago) três voos da TUI provenientes de Colónia, Frankfurt e Hannover, dois da TAP do Porto e de Londres, bem como um avião cargueiro e um da Primeira, com origem em Estocolmo.

A empresa adiantou que a Sata Air Açores "ainda não fez qualquer operação entre ilhas" e que o voo da Easyjet com origem em Lisboa regressou à origem.

"Até ao momento apenas aterrou um voo da TAP com origem em Lisboa e registámos duas partidas, também da TAP, uma com destino Lisboa e outra Porto", referia a nota, distribuída de manhã.

Por seu turno, o navio de cruzeiros "Gran Princess", que chegou ao Funchal pelas 08h00, não conseguiu entrar no porto da capital madeirense. Ainda aguardou ao largo durante algumas horas, mas acabou por cancelar a escala.


Segundo o sítio do Serviço Regional da Protecção Civil na Internet, continuam ao início da tarde encerradas diversas estradas, mas a de acesso à freguesia do Curral das Freiras, que esteve temporariamente fechada de manhã, deixando a população isolada, já está transitável, apesar da circulação se efectuar de forma condicionada.

Também em comunicado, a Secretaria Regional da Educação e Recursos Humanos informou que as escolas da Madeira "estão a funcionar dentro da normalidade", sendo excepção os casos da básica e secundária da Ponta do Sol - que está "encerrada por indicação da Protecção Civil Municipal - e de dois outros estabelecimentos no Curral das Freiras que estão "sem alunos devido a derrocada nas estradas de acesso".

O director do Instituto de Meteorologia na Madeira, Vítor Prior, revelou que a precipitação entre a meia-noite e a manhã de hoje foi elevada nas zonas montanhosas, atingindo os 238 milímetros por metro quadrado no Pico do Arieiro e os 174 na Bica da Cana, enquanto no Funchal foi de 50 e na costa Norte, em São Vicente, de 85.

Quanto ao vento, foram registadas rajadas de 120 quilómetros/hora nas zonas montanhosas e de 70 quilómetros/hora no Funchal.

Segundo Vítor Prior, as condições atmosféricas - chuva e vento fortes - deverão manter-se até ao princípio da tarde de hoje. 

madeira mau tempo chuva forte protecção civil bombeiros
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)