Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Não registou o seu animal de estimação? Pode pagar até 3740 euros de multa

Dinheiro das multas é repartido pelo Estado, Direção-Geral de Veterinária e forças policiais, como a PSP e GNR.
João Saramago 26 de Outubro de 2019 às 10:46
Cão
Gato
Cão
Gato
Cão
Gato
As novas regras para os donos de animais de companhia entraram ontem em vigor e implicam o pagamento de multas por falta de registo de cães, gatos e furões. O valor varia entre os 50 e os 3740 euros no caso de o dono ser um particular; para as empresas, as multas atingem o valor máximo de 44 890 euros. Pretende-se combater a situação de abandono dos animais.

A receita das coimas é repartida por três entidades: autoridade atuante, nomeadamente GNR ou PSP (10%), Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (30%) e Estado (60%). Os médicos veterinários passam a ser os responsáveis pelos registos no Sistema de Informação de Animais de Companhia (SIAC), para que fique assegurada a identificação do dono. O registo, com aplicação de um microchip, representa para o dono do animal o pagamento de 2,5 euros. Concluído este processo é emitido um documento de identificação do animal de companhia.

A identificação de cães, gatos e furões é obrigatória e a marcação no SIAC será realizada até 120 dias após o nascimento. Para os animais já nascidos há diferenças: os cães, mesmo os nascidos antes de julho de 2008, em que não era obrigatória identificação, serão registados até outubro do próximo ano. No caso dos gatos e furões o período é de três anos para serem registados.

Mudança de casa obriga a alterar dados
O Sistema de Informação de Animais de Companhia determina que os donos alterem a morada no registo caso mudem de residência. A implementação do transponder (microchip) deve ser feita no centro da face lateral esquerda do pescoço do animal. Não é necessário colocar sensor nos animais que tenham chip através do sistema do SICAFE e do SIRA. Os boletins sanitários permanecem válidos. A lei só se aplica a cães, gatos e furões.

Associações acusam Estado
Associações de defesa dos animais, como a Animal e a SOS Animal, responsabilizam o Estado pela falta de infraestruturas para acolher cães e gatos, porque, um ano após a lei que impede o seu abate, os centros de recolha não têm capacidade para os receber.

PORMENORES
Feitos nas freguesias
A Direção-Geral das Autarquias Locais explicou que as juntas de freguesia vão manter a competência no registo e licenciamento de animais.

Registos gratuitos
Animais já identificados com licenças válidas pelas juntas de freguesia serão registados no SIAC de forma gratuita.

Veterinários contestam
O bastonário da Ordem dos Veterinários, Jorge Cid, contesta o pagamento anual que os donos de cães fazem nas juntas de freguesia.
SIAC Estado Animal questões sociais interesse humano animais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)