Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Páscoa leva milhares a correr para as praias

O bom tempo dos últimos dias é um estímulo para a maior procura dos areais portugueses no fim de semana.
João Mira Godinho e Cláudia Machado 11 de Abril de 2017 às 01:30
Praias no Algarve
Autoridades alertam que areais ainda não são vigiados
Praias no Algarve
Autoridades alertam que areais ainda não são vigiados
Praias no Algarve
Autoridades alertam que areais ainda não são vigiados
A Semana Santa é uma oportunidade para milhares de famílias fazerem uma pausa na rotina. Os planos para o fim de semana prolongado são traçados de olhos postos nas praias do sul do País, mas também nas vincadas tradições do Norte e do Centro.

"Não é possível dizer um número, porque não há controlo nem nas estradas nem nas fronteiras, mas são esperados milhares de turistas no Algarve", garante Desidério Silva, presidente do Turismo do Algarve. A Semana Santa é a rampa de lançamento para um ano em que são esperados grandes resultados no setor, após um 2016 já bastante positivo.

"Esta Páscoa tudo indica que o Algarve vá receber mais turistas do que no ano passado", diz Desidério Silva. Já existem unidades hoteleiras esgotadas, mas as expectativas apontam para uma ocupação média a rondar os 80%. Quanto a preços, há para todos os gostos, a começar nos 50 euros por noite, podendo chegar às centenas, no caso das suítes dos hotéis de luxo.

Mesmo assim, alerta, faltam "adaptações da lei à realidade". É o caso das praias sem nadadores-salvadores, numa altura em que as previsões meteorológicas apontam para tempo quente na Páscoa: "Os concessionários, desde que assegurassem as regras de segurança, deviam poder abrir quando quisessem."

A Páscoa é também uma das melhores alturas para o turismo a Norte do País, sobretudo nos núcleos de forte tradição, como a Semana Santa de Braga, que atrai milhares de pessoas todos os anos.

"As taxas de ocupação [hoteleira] em Braga e no Porto chegam aos 95%", adiantou ao CM fonte da Turismo do Porto e Norte de Portugal. Também Vila Nova de Gaia está, por estes dias, próxima dos 95%, mas nas três cidades "há ainda alojamento disponível", garante a associação.
Ver comentários