Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Pergaminho com 635 anos à venda no Olx por 750 euros

Torre do Tombo vai comprar o documento que regista a entrega do Castelo de Lisboa ao conde de Barcelos.
Diogo Barreto / SÁBADO 2 de Novembro de 2018 às 10:09
Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge, em Lisboa
Catelo de São Jorge, em Lisboa
Castelo de São Jorge, em Lisboa
Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge, em Lisboa
Catelo de São Jorge, em Lisboa
Castelo de São Jorge, em Lisboa
Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge, em Lisboa
Catelo de São Jorge, em Lisboa
Castelo de São Jorge, em Lisboa
O OLX serve para vender de tudo, desde cabides a automóveis. Há também livros novos e primeiras edições de clássicos à venda (alguns são uma pechincha). O que não é tão habitual são pergaminhos do século XIV com a escritura da entrega do Castelo de Lisboa ao Conde de Barcelos. Principalmente por 750 euros.

Mas foi isso mesmo que o utilizador Luís Sampaio pôs à venda na sua página pessoal do site de venda. No anúncio podia ler-se: "Escritura de entrega do Castelo de Lisboa que fez o Alcaide do mesmo, Martim Afonso Valente, ao Conde de Barcelos, Dom João Afonso Telo, o qual prestou ‘preito e menagem’ ao primeiro, de acordo com o determinado pelo rei Dom Fernando, pela carta de 16 de Janeiro de 1383, tresladada nesta escritura. Entre as testemunhas do acto esteve presente o Alcaide do Castelo de Faria, Diogo Gonçalves. Tabelião: Peres Esteves. 1383, Janeiro 26, Castelo de Lisboa".

O preço de venda para este documento histórico era de 750 euros e a entrega poderia ser feita de uma de duas maneiras: "em mão, na zona de Gaia", ou via CTT.

O anúncio chamou a atenção do autor do blogue Repensando a Idade Média que avisou a Câmara Municipal de Lisboa da existência deste documento, revela o jornal Público. Mas outra instituição esteve atenta à venda: o Arquivo Nacional Torre do Tombo. O Arquivo Nacional decidiu mesmo adquirir o documento, confirmou ao diário o director-geral. "Vamos exercer o direito de opção na aquisição do pergaminho, e já comunicámos isso ao vendedor", disse.

O documento foi analisado pela Torre do Tombo e a sua autenticidade autenticada. A CML de Lisboa estará também a proceder aos trâmites necessários para confirmar a autenticidade do documento.

Ao Público, o historiador Bernardo Vasconcelos e Sousa - antigo director da Torre do Tombo - diz que "tudo leva a crer que se trate de um documento autêntico, até pela assinatura do tabelião", e nota que "Dom Afonso Telo era uma figura da alta nobreza da corte de D. Fernando", aplaudindo a decisão da Torre do Tombo adquirir o documento.

Este caso é particularmente significativo pelo local onde surgiu: documentos como este surgem por norma em alfarrabistas e em leilões de bibliotecas antigas, não em sites de venda online, lembra José Luís Fernandes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)