Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Perus com gripe das aves abatidos em Óbidos

Foco identificado numa exploração com milhares de animais.
Francisco Gomes 26 de Dezembro de 2021 às 09:31
Exploração de perus afetada por um surto de gripe das aves, em Avarela, Óbidos. Doença tem “alta patogenicidade”
Exploração de perus afetada por um surto de gripe das aves, em Avarela, Óbidos. Doença tem “alta patogenicidade” FOTO: CMTV
Foi detetado um foco de gripe das aves numa exploração com milhares de perus em Avarela, Óbidos. A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já ativou um plano de contingência, estabelecendo, entre outros, o abate dos animais atingidos e uma restrição sanitária em volta do local afetado, num raio de até dez quilómetros. Em causa está uma "gripe aviária de alta patogenicidade", com taxas de mortalidade muito elevadas, e que pode infetar outros animais e também o ser humano, quando haja um contacto muito estreito.

No entanto, a DGAV sublinha que "não há evidência epidemiológica de transmissão da gripe aviária aos seres humanos através do consumo de alimentos, nomeadamente de carne de aves de capoeira e ovos".

Para evitar a propagação da doença foi definida uma zona de proteção e uma zona de vigilância, abrangendo, respetivamente, raios de três e dez quilómetros em redor da exploração avícola. A DGAV proibiu a circulação de aves vivas na área de restrição, mas também a de carne fresca, incluindo miudezas e produtos à base de carne de aves. O mesmo se aplica à circulação de ovos para incubação e para consumo humano, assim como de subprodutos animais obtidos de aves oriundas da produção na zona afetada.

O plano de contingência prevê a eliminação das aves infetadas, sendo feita a indemnização pelo abate sanitário dos animais. As medidas aplicam-se até 27 de janeiro de 2022 e as explorações avícolas nesta zona serão alvo de inspeção.
Ver comentários