Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Sistema de Alimentação de Aves Necrófagas do Tejo Internacional vai ser reativado

Quercus sublinha que quase todas estas espécies "têm estatutos de conservação preocupantes".
Lusa 25 de Maio de 2021 às 09:47
Rio Tejo
Rio Tejo FOTO: Mariline Alves
O Sistema de Alimentação de Aves Necrófagas do Tejo Internacional (SAANTI) vai retomar o seu funcionamento após um período de inatividade, anunciou esta terça-feira a associação ambientalista Quercus.

Em comunicado enviado à agência Lusa, os ambientalistas referem que se pretende, até ao final do ano, o abastecimento regular dos quatro campos de alimentação comunitários para aves necrófagas presentes no PNTI e zona envolvente, em Vila Velha de Ródão, Malpica do Tejo (Castelo Branco), Rosmaninhal e Segura (Idanha-a-Nova).

"O SAANTI entrou em funcionamento em agosto de 2019, tendo sido recolhidos animais domésticos e selvagens que totalizam 28 toneladas de cadáveres e subprodutos que, em vez de enterrados, foram consumidos e reciclados por grifos, abutres-pretos, abutres-do-egipto e outras aves com hábitos parcialmente necrófagos, como corvos, milhafres-reais, águias-reais e águias-imperiais", lê-se na nota.

A Quercus sublinha que quase todas estas espécies "têm estatutos de conservação preocupantes" e, em relação às aves necrófagas, "a falta de alimento é um dos principais fatores de ameaça".

"Após um período de inatividade, o SAANTI retoma o pleno funcionamento ao abrigo de um protocolo de colaboração assinado entre o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Quercus e o Fundo Ambiental, no âmbito da gestão colaborativa do PNTI", informa a associação ambientalista.

A Quercus adianta ainda que agora possível aos produtores e gestores a integração no SAANTI, sem nenhum custo, através do número de telefone 912 278 227.

"São recolhidos, em viatura especializada, ovinos e caprinos provenientes de explorações extensivas e subprodutos de atos cinegéticos, sendo que são elegíveis para recolha as explorações e associações que fazem parte dos municípios de Vila Velha de Ródão, Castelo Branco e Idanha-a-Nova", sublinham.

Nos próximos meses, a equipa da Quercus de Castelo Branco irá dinamizar sessões de esclarecimento e recrutamento de parceiros, nas freguesias integrantes e contíguas da área do PNTI.

O SAANTI foi criado pelo projeto "Compatibilizar a Gestão Cinegética à Conservação da Natureza", protocolado entre a Quercus, ICNF e o Fundo Ambiental, inserido no projeto-piloto para a gestão colaborativa do PNTI.

O principal objetivo é a recolha de animais de gado mortos em explorações extensivas e os subprodutos resultantes de atos cinegéticos, depositando-os em campos de alimentação licenciados para o efeito.

Ver comentários
}