Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
5

PSP usa raio-X e detetor de metais para controlar entradas no Web Summit

Evento decorre entre esta segunda-feira até quinta-feira.
Lusa 6 de Novembro de 2017 às 13:17
Web Summit, Lisboa
Paddy Cosgrove, fundador da Web Summit, que decorre na Alice Arena em Lisboa
Polícia de Segurança Pública
PSP
Web Summit, Lisboa
Paddy Cosgrove, fundador da Web Summit, que decorre na Alice Arena em Lisboa
Polícia de Segurança Pública
PSP
Web Summit, Lisboa
Paddy Cosgrove, fundador da Web Summit, que decorre na Alice Arena em Lisboa
Polícia de Segurança Pública
PSP

A PSP adotou este ano, para a conferência Web Summit, "medidas de segurança adicionais" que passam pela utilização de detetores de metais e aparelhos de raio-X à entrada do evento, anunciou esta segunda-feira aquela força de segurança.

Em conferência de imprensa para explicar as medidas de segurança para a conferência global de tecnologia Web Summit, que se realiza entre esta segunda-feira e quinta-feira, em Lisboa, a responsável e comandante do policiamento, subintendente Ana Neri Correia, afirmou que o nível do grau de ameaça não aumentou em relação à edição do ano passado, estando a adoção das medidas adicionais relacionadas com o aumento da dimensão do evento e do número de participantes, cerca de 60.000.

Assim, explicou, todas as pessoas que entrem na conferência têm de passar pela tenda de controlo de segurança da responsabilidade da PSP, onde estão os aparelhos raio-X e os pórticos.

"No ano passado, também existiu a questão da verificação dos participantes, mas este ano optamos por um serviço de melhor qualidade através do recurso ao meios tecnológicos diferentes, como raio-X e pórticos", disse, adiantando que já foram utilizados pela PSP em outras cimeiras e concertos.

Ana Neri Correia sublinhou que, este ano, não vai ser permitido entrar dentro da conferência com bagagens de grande porte, nomeadamente tróleis, existindo um espaço exterior para os participantes as deixarem.

Segundo a PSP, houve um aumento do espaço do evento, que não se limita às portas do Altice Arena e da FIL, no Parque das Nações, impondo-se, por isso, "um perímetro de segurança mais alargado que visa salvaguardar a questão da acessibilidade aos pontos estratégicos da entrada".

A Polícia de Segurança Pública montou, até quinta-feira, um dispositivo de segurança centrado no policiamento preventivo através do aumento do número de polícias em várias zonas da cidade.

Para tal, foram mobilizadas várias valências da PSP, como equipas de trânsito, Unidade Especial de Polícia, investigação criminal, equipas de intervenção rápida e de prevenção e reação imediata, além das equipas de segurança de transportes públicos.

A Polícia não especificou quantos elementos policiais vão estar envolvidos na cimeira, mas a comandante do policiamento garantiu que "são os necessários para garantir a segurança" dos milhares de pessoas que visitam esta semana Lisboa.

A subintendente disse ainda que vai haver um policiamento permanente no metropolitano, uma vez que este meio de transporte é o recomendado pela organização.

"Vai haver elementos policiais de todas as valências no Metro", sustentou.

A PSP também preparou um policiamento específico para as "night Summit" através de "um reforço e visibilidade" policial nas zonas do Cais do Sodré, Bairro Alto, Chiado e Príncipe Real, adiantou o comandante da primeira divisão policial, subintendente Paulo Flor.

A PSP indicou ainda que vai haver várias restrições ao trânsito até quinta-feira, sobretudo na zona do Parque das Nações.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)