Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Admiradores começam a prestar homenagem ao 'mestre'

O silêncio marca a manhã junto à igreja de Cristo Rei, onde estão a ser preparadas as cerimónias fúnebres.
3 de Abril de 2015 às 11:35
O presidente da câmara municipal do Porto, Rui Moreira, à chegada ao velório de Manoel de Oliveira
O presidente da câmara municipal do Porto, Rui Moreira, à chegada ao velório de Manoel de Oliveira FOTO: Ricardo Castelo/Lusa

Amigos e admiradores começaram esta sexta-feira de manhã a chegar à Igreja de Cristo Rei, no Porto, para prestar homenagem ao realizador Manoel Oliveira, falecido quinta-feira, aos 106 anos, apelidando-o carinhosamente de "mestre".

O silêncio marca a manhã junto à igreja de Cristo Rei, onde estão a ser preparadas as cerimónias fúnebres, tendo o corpo de Manoel Oliveira, por volta das 10h00, sido transportado ao longo de 50 metros, por uma passagem interior desde o salão do Convento dos Padres Dominicanos até à igreja.

À entrada começam a juntar-se com flores na mão, amigos e admiradores que, algo em surdina, recordam o realizador mais velho do mundo. Aguardam que os responsáveis da igreja autorizem a entrada na igreja, tendo sido explicado que primeiro será a família a entrar.

Frei Bernardo, um dos religiosos do Convento dos Padres Dominicanos e "velho amigo" do realizador, em conversa com os jornalistas confidenciou que Manoel de Oliveira lhe havia prometido realizar o filme dos seus 100 anos. "Não pôde cumprir, ele, um velho amigo que uma vez me disse "a morte é apenas uma porta que se abre'", contou.

Igreja de Cristo Rei Porto Manoel de Oliveira velório funeral
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)