Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Bruno Aleixo chega aos cinemas em janeiro de 2020

Bruno Aleixo, personagem humorística que surgiu na internet em 2008, vai contar com um filme em torno da sua vida.
Lusa 28 de Agosto de 2019 às 12:53
Bruno Aleixo chega aos cinemas em janeiro de 2020
Bruno Aleixo chega aos cinemas em janeiro de 2020
A personagem de humor Bruno Aleixo, criada há mais de dez anos, vai chegar aos cinemas em janeiro de 2020, num filme que conta com a participação dos atores Gonçalo Waddington, Rogério Samora e José Raposo.

Bruno Aleixo, personagem humorística que surgiu na internet em 2008, vai contar com um filme em torno da sua vida, a estrear no início de 2020, realizado e escrito pelos seus criadores, João Moreira e Pedro Santo.

O filme vai abordar "vários episódios" da vida da personagem ficcional, ao mesmo tempo que procura ser uma "homenagem ao cinema", com referências à cultura pop da sétima arte, disse à agência Lusa João Moreira.

Bruno Aleixo, personagem ficcional que parece uma mistura entre um cão e um Ewok (personagem do universo dos filmes Star Wars), tem 62 anos de idade, é natural de Coimbra, com ascendência da Bairrada e do Brasil, e apareceu pela primeira vez em 2008, com vídeos publicados na internet onde deixava vários conselhos, desde os problemas de dormir nu à necessidade de guardar bolas de naftalina para as crianças não as comerem.

Segundo João Moreira, a personagem apareceu pela primeira vez num guião escrito para o apresentador Fernando Alvim, que não chegou a ir para a frente, sendo que, depois dos vídeos publicados, acabou por contar com um programa na Sic Radical.

A ideia de criar um filme com a personagem já é antiga, tendo surgido a partir de um desafio da produtora O Som e a Fúria, em 2013.

Habituado a escrever 'sketches' curtos, João Moreira frisou que não queriam apenas "fazer um episódio grande de hora e meia" ou um conjunto de episódios, tendo o cuidado de "utilizar sempre ou quase sempre a linguagem de cinema".

O filme continua a ter referências às pequeninas coisas do quotidiano, mas centra-se mais no "imaginário comum do cinema, do que propriamente no imaginário comum popular português".

Apesar da produção de cinema, Bruno Aleixo não ganha três dimensões e todos os bonecos - Renato, Homem do Bussaco ou o Busto - "continuam iguais a eles próprios", mexendo, como sempre, apenas a boca e os olhos, mantendo-se de alguma forma a imagem 'lo-fi' associada às personagens, afirmou.

Com mais de dez anos de trabalho em torno de Bruno Aleixo, João Moreira vinca que há vantagens em trabalhar durante tanto tempo a personagem, considerando que a experiência é mais "cumulativa do que repetitiva".

"As personagens, apesar de serem bonecos, têm alguma modelação, não são personagens planas. Se pedires a opinião de qualquer um dos bonecos sobre qualquer coisa, eu sei a opinião de cada um deles, tirando a do Renato, que vai atrás das modas", conta.

O filme foi gravado entre Anadia (na Bairrada) e Coimbra, contando com a participação de atores como Gonçalo Waddington, José Raposo, Rogério Samora, Adriano Luz ou José Neto.

Depois da estreia nos cinemas, o filme será adaptado para televisão, com exibição na Sic Radical.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)