Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Jazz de Minde promete "melhor edição de sempre"

Festival decorre de 3 a 5 de junho.
30 de Abril de 2016 às 09:17
Os portugueses Dead Combo abrem o Palco Fábrica no dia 3 à noite
Os portugueses Dead Combo abrem o Palco Fábrica no dia 3 à noite FOTO: Direitos Reservados
O Festival de Jazz de Minde vai realizar-se de 3 a 5 de junho nesta vila do concelho de Alcanena, Santarém, prometendo os organizadores que esta 12.ª edição será "a melhor de sempre".

Pelo palco principal do festival, situado numa antiga fábrica têxtil, vão passar nomes como Matt Schofield, "um dos melhores guitarristas ingleses, distinguido com o 'British Blues Awards Guitarist of the Year' 2010, 2011, 2012", que estará pela primeira vez em Portugal, e o pianista norte-americano Cory Henri, dos Snarky Puppy.

Os portugueses Dead Combo abrem o Palco Fábrica no dia 3 à noite, prometendo "uma certa inovação só vista no Optimus Alive", anunciou a organização do festival, o núcleo Jazzminde da Casa do Povo de Minde, na sessão de apresentação realizada na sexta-feira à noite, numa sessão que incluiu um concerto pelo trio de Joana Lobo Anta.

A apresentação aconteceu na Galeria Artspace João Carvalho, situada em Vila Morreira, em Gouxaria, Alcanena, "um projeto de incidência cultural, que procura dinamizar diferentes áreas da arte contemporânea", que se associou ao festival.

O palco principal vai ainda receber, no dia 4 de junho, o campeão do mundo de acordeão João Barradas e o pianista João Paulo Esteves.

Este ano com o reconhecimento do Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes, o festival aposta também em palcos ao ar livre e em várias ações de carácter social e didático.

Pelo Palco Natura, situado ao ar livre e com acesso gratuito, numa "envolvência que inclui a Tenda das Artes, 'workshops' e restaurante", vai passar, dia 4 à tarde, a orquestra Molto Vivace, do Conservatório de Música Jaime Chavinha, em conjunto com coros das escolas de Minde, Alcanena, Porto de Mós, Mira de Aire, Pernes, Alcanede, num total de cerca de 100 participantes dirigidos por Tiago Alves.

Seguir-se-ão três bandas, Annie Road, os Light Gun Fire e a Funkoffandfy, e, no dia seguinte à tarde, no mesmo palco, realizam-se quatro concertos, também gratuitos, com a banda Dysfunktional, o Trio de Pedro Madaleno, a banda de Marco Santos e Fatsilla. Na Tenda das Artes estará a exposição "Três Cabides em Ensaios sobre o Jazz", haverá 'workshops' sobre cerâmica com o artista José Siphioni, em pintura com Romano Saraiva e desenho com José Gama.

A animação de rua estará a cargo dos Xaral's Dixie e dos Omu Duo, grupo de animação circense que virá do México e seguirá depois para o Japão.

A anteceder o festival, no dia 20 de maio, realizar-se-á no Cineteatro de Porto de Mós um "concerto didático e interativo" para uma centena de alunos do ensino secundário, em colaboração com a Associação Portuguesa de Educação Musical (APEM) e a Associação Move Comunidades com o objetivo de sensibilizar os mais jovens para este estilo musical.

A iniciativa repetir-se-á no dia 3 de junho, no Palco Natura da Fábrica de Cultura, em Minde, para alunos de Minde e de Alcanena, com um quinteto formado por professores da APEM.

A 27 de maio, na Casa da Cultura, em Mira de Aire, com a colaboração do Círculo Cultural Mirense, realiza-se um seminário sobre música e jazz, decorrendo no dia 29 um concerto no interior das grutas de Mira de Aire "que visa a promoção da cultura em ambiente natural e a divulgação" do festival.

A organização lembra a tradição musical de Minde, cuja Sociedade Musical comemora este ano um século de existência, e o papel do Conservatório de Música Jaime Chavinha do Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro, que leciona música a centenas de alunos no concelho de Alcanena.
Festival de Jazz de Minde Alcanena Minde música
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)