VAR desperta dragão para goleada

Vitória do FC Porto nunca esteve em causa, mas só começou a ser construída após um erro de arbitragem e quando já estava em desvantagem.
Por Filipe António Ferreira|08.12.18

Aplausos, susto, erros de VAR e goleada. Este seria o resumo perfeito do triunfo do FC Porto sobre o Portimonense, num Dragão que fez uma vénia ao seu antigo goleador e atual avançado dos algarvios: Jackson Martínez.

Conceição voltou a apostar em Corona, deixando Maxi Pereira no banco e tornou a colocar Soares ao lado de Marega. Falhou no primeiro mas acertou no segundo. Jackson teve o primeiro grande aplauso no Dragão. O colombiano, muito limitado fisicamente, esteve pouco em jogo mas ainda assim participou de forma ativa no golo de Tormena logo aos 9’. Perante uma inexplicável apatia da defesa portista, Nakajima recebeu de ‘Cha Cha Cha’, cruzou para Tormena, que sem tirar os pés do chão gelou o Dragão.

Com a equipa algarvia por cima e com uma defesa portista muito macia surgiu o caso do jogo. Felipe carregou Nakajima na área, mas nem Manuel Mota nem o VAR João Pinheiro vislumbraram falta evidente. Gorada a possibilidade do Portimonense fazer o 2-0, o campeão passou a mandar em definitivo, já com Herrera em campo. Marega subiu mais alto que a defesa algarvia para o 1-1, golo que surgiu num canto que pareceu mal assinalado.

Após o descanso, o Portimonense voltou a subir linhas, mas foi a equipa da casa a desfazer a igualdade. Soares fez o mais fácil após passe de Marega. Depois o baixar dos braços dos algarvios. Brahimi marcou o 3-1 e Marega fez o resultado final. Depois, o Dragão levantou-se para saudar Jackson Martínez e festejar a 11º vitória consecutiva.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!