Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Chuva adia jogos em Roland Garros

Antes do adiamento, Rafael Nadal que não perdia um 'set' em Paris desde 2015, apresentou dificuldades.
6 de Junho de 2018 às 20:52
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
Roland Garros
A chuva impediu esta quarta-feira a conclusão dos quartos de final masculinos do torneio de ténis de Roland Garros, num dia marcado pelas dificuldades sentidas por Rafael Nadal, que não perdia um 'set' em Paris desde 2015.

Os problemas do espanhol, dez vezes vencedor e atual detentor do título do Grand Slam parisiense, acabaram por deixar para segundo plano a forma como a sua compatriota Garbiñe Muguruza 'trucidou' a russa Maria Sharapova, avançando para as 'meias' juntamente com a romena Simona Halep.

Desde os quartos de final de 2015 que Nadal não cedia um 'set' em Roland Garros e já levava uma série invicta de 37, que o argentino Diego Schwartzman (12.º cabeça de série) conseguiu travar, com 6-4 a seu favor.

Depois, o líder do 'ranking' mundial equilibrou as coisas e liderava por 5-3 quando, pela segunda vez na tarde, o encontro parou por causa da chuva, mas agora para não recomeçar.

Não ficou longe o recorde de 41 'sets' ganhadores, mas vai prosseguir na posse do sueco Bjorn Borg, o 'rei' da terra batida dos anos 70 do século passado.

Também adiado está o muito equilibrado 'quarto' entre o argentino Juan Martin del Potro (5.º pré-designado) e o croata Marin Cilic (3.º).

Já com uma hora e dez minutos jogados, ainda nem chegaram ao fim do primeiro 'set', com 5-5 no 'tie-break' - uma luta 'épica' que promete prolongar-se quinta-feira.

Quem vencer estes dois encontros terá de voltar à ação de novo na sexta-feira, tendo assim menos descanso do que os outros semifinalistas, que são o austríaco Dominic Thiem e o italiano Marco Cecchinato.

Mais cedo, disputaram-se os jogos do quadro feminino, que 'escaparam' à chuva e deram guia para as meias-finais a uma antiga campeã, Muguruza, mas também a Halep, que apesar de ser líder do 'ranking' nunca ganhou um 'Grand Slam'.

Halep mostrou muita garra pela forma como conseguiu a reviravolta com a difícil alemã Angelique Kerber. Finalista em Paris em 2015 e 2017, bateu a 12.ª do 'ranking' por 6-7 (2-7), 6-3 e 6-2, em duas horas e 14 minutos.

Depois de afastar a vencedora do Open da Austrália e dos Estados Unidos em 2016, Halep vai defrontar a espanhola Garbiñe Muguruza, terceira da hierarquia, que pura e simplesmente 'demoliu' Sharapova, a 28.ª.

A tenista nascida na Venezuela, mas de ascendência basca, vencedora da prova em 2016, só 'deixou' três jogos para a adversária, também ela uma antiga vencedora, em 2012 e 2014.

Na terra batida parisiense não estiveram mais do que uma hora e 10 minutos, quanto bastou para que se chegasse a um 6-2 e 6-1, resultado bem comprovativo da tendência de 'sentido único'.
Ver comentários