Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Miguel Oliveira lamenta volta anulada por bandeiras vermelhas nos treinos de MotoGP

Piloto acredita que pode melhorar na qualificação.
Lusa 3 de Maio de 2019 às 16:39
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
O piloto Miguel Oliveira (KTM) lamentou esta sexta-feira que a sua melhor volta nos treinos livres do Grande Prémio de Espanha de MotoGP tenha sido anulada por uma situação de bandeiras vermelhas, mas acredita que pode melhorar na qualificação.

"A sessão da tarde foi um pouco melhor para nós comparativamente com a da manhã. Estive muito mais rápido. Foi pena a minha volta mais rápida ter sido anulada devido ao facto de haver bandeira vermelha no último setor", explicou o piloto português, após a segunda de duas sessões de treinos livres da quarta prova do Mundial de motociclismo de velocidade, que se realiza em Jerez de la Frontera.

O piloto de Almada tinha estabelecido em 1.39,500 minutos o seu melhor registo, que viria a ser anulado devido às bandeiras vermelhas que interromperam a sessão a 2.42 minutos do final, devido às quedas do britânico Bradley Smith (Aprilia) e do checo Karel Abraham (Ducati), na curva cinco do circuito andaluz.

O português teve de manter o registo de 1.39.774 minutos como melhor tempo desta sexta-feira, que o deixa no 23.º lugar da tabela, entre 24 pilotos presentes.

No entanto, o piloto da Tech3 mantém a confiança numa melhoria durante o resto do fim de semana, depois desta sexta-feira ter testado duas motas com configurações distintas.

"Pelo menos o potencial está lá. [Durante a tarde] experimentámos uma mota completamente diferente da que usámos de manhã e isso foi positivo. Ainda temos algumas coisas para testar amanhã [sábado] de manhã e tentar ficar mais próximos da qualificação dois", observou Miguel Oliveira.

O dia desta sexta-feira foi dedicado a encontrar a melhor afinação: "A nossa prioridade foi estabelecer o que era a geometria da mota. Experimentámos duas coisas completamente diversas que podemos usar. Ainda há ajustes eletrónicos que podemos fazer para ganhar mais tempo", explicou o português.

"Foi um dia mau. Não conseguimos fazer voltas realmente rápidas. Pelo menos, sabemos qual o caminho a seguir agora. Mas ainda temos de trabalhar na eletrónica para melhorar os tempos e aproximar-nos dos lugares pontuáveis", apontou, considerando que "ainda é possível" recuperar alguns décimos de segundo.

O GP de Espanha de MotoGP é a quarta prova do Mundial de motociclismo de velocidade. Miguel Oliveira ocupa a 16.ª posição, com sete pontos, fruto de um 11.º lugar na Argentina e um 14.º nos Estados Unidos, depois da 17.ª posição na prova de abertura, no Qatar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)