Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
6

Homem inspira-se em episódio do CSI para encenar homicídio na sua morte

Americano Alan Abrahamson concebeu um plano engenhoso que levou polícia a pensar que tinha sido assassinado.
J.C.M. 14 de Julho de 2018 às 19:56
Balão meteorológico
Alan Abrahamson encenou o seu suicídio para parecer um homicídio
Balão meteorológico
Alan Abrahamson encenou o seu suicídio para parecer um homicídio
Balão meteorológico
Alan Abrahamson encenou o seu suicídio para parecer um homicídio
Alan Jay Abrahamson foi encontrado sem vida a 25 de janeiro, na sua propriedade de Palm Beach, na Florida, Estados Unidos. O caso começou por ser tratado como um homicídio. Alan tinha sido atingido com um tiro no coração e a arma do crime não estava no local. Mas a investigação começou a tropeçar. Apesar da recompensa prometida de 3 mil dólares a quem pudesse dar informações sobre o caso, nenhuma pista credível aparecia.

Esta sexta-feira a polícia de Palm Beach comunicou ter desvendado o caso. Afinal, Alan Jay não foi assassinado. Cometeu suicídio e fez tudo para encenar um homicídio. As razões de tal gesto não são claras, mas a polícia descobriu que Alan, casado e com filhos,  tinha pesquisado intensivamente na Internet as regras do pagamento de seguros de vida aos descendentes em caso de suicídio, relata o jornal Palm Beach Post.

Mas o bizarro da história vem do método utilizado. Abrahamson inspirou-se num episódio da série CSI emitido em 2003. No enredo, um homem suicidava-se com uma arma presa a um balão de hélio, que desapareceu nos céus logo após ser disparada. 

Os agentes começaram por achar suspeito que a camisola da vítima tivesse uma grande mancha de sangue no peito e um rasto em forma de linha, que lhe subia por um dos ombros. O que indicava a presença de uma corda, nunca encontrada. Ao investigarem as atividades de Alan na Internet, perceberam que este tinha investigado a fundo vários métodos de suicídio. 

A análise às conta bancárias também permitiu saber que Alan tinha comprado balões usados para lançar aparelhos meteorológicos e depósitos de hélio para os encher. Os investigadores perceberam então porque é que a arma do crime nunca foi encontrada. Terá voado para muito longe, levada pelo vento. A corda que segurava a arma ao balão terá raspado no ombro de Alan quando subia, causando a estranha mancha de sangue em forma linear.

A investigação foi dada como encerrada.