Correio da Manhã

“UE, Rússia e China são inimigos dos EUA”, diz Trump
Foto Reuters
Foto Reuters
Foto Brendan Smialowski/Getty Images
Donald Trump
Foto Jaap Arriens/Getty Images
Donald Trump
Por Ricardo Ramos | 01:30
  • Partilhe
Presidente americano põe europeus como adversários. E diz ter “expectativas baixas” para cimeira desta segunda-feira com Trump.

O presidente norte-americano Donald Trump colocou este domingo a União Europeia à cabeça da lista dos principais "inimigos" dos EUA, juntamente com a Rússia e a China, em mais um sinal de deterioração das relações transatlânticas, horas antes de uma cimeira com Vladimir Putin que muitos líderes europeus temem que sirva para alargar ainda mais o fosso existente entre a Europa e a América.

Trump, que na semana passada ameaçou sair da NATO, acusou a Alemanha de ser "prisioneira" da Rússia e criticou a forma como Theresa May está a negociar o Brexit, foi questionado durante uma entrevista à CBS News sobre quais são os principais inimigos dos EUA e não hesitou na resposta.

"Temos muitos inimigos. Julgo que a União Europeia é um inimigo, por causa daquilo que nos fizeram no comércio. A Rússia é um inimigo em certos aspetos e a China é um inimigo económico", afirmou Trump, acrescentando: "Isto não quer dizer que sejam maus, mas que são nossos concorrentes. Respeito muito os líderes desses países, mas em termos comerciais, têm-se aproveitado de nós".

Sobre o encontro desta segunda-feira com Putin em Helsínquia, Trump admitiu que "as expectativas são baixas" e culpou a investigação à alegada ingerência de Moscovo nas presidenciais, à qual voltou a referir-se como "caça às bruxas".

"Trump disse-me para processar a UE"

Donald Trump aconselhou a primeira-ministra britânica Theresa May a "processar a União Europeia" por causa do Brexit em vez de negociar. Questionada numa entrevista à BBC sobre o conselho que o presidente dos EUA lhe deu, May revelou: "Ele disse-me para processar a UE. Não negociar, processá-los", explicou May, que disse ter respondido a Trump que tal "não era possível". "Quero negociar e obter o melhor acordo possível", garantiu.

PUBLICIDADE
Insistência nas críticas à Alemanha
Trump voltou a criticar a Alemanha por causa dos acordos energéticos com a Rússia, afirmando que "é ridículo" que os EUA gastem dinheiro para proteger um país que dá milhões ao inimigo. "O que é que a Alemanha está a fazer? A acenar uma bandeira branca?", questionou.

PORMENORES
Aviso do MNE alemão
O chefe da diplomacia alemã, Heiko Mass, avisou ontem Trump a não fazer acordos unilaterais com a Rússia à revelia dos parceiros europeus.

O encontro mais fácil
Trump repetiu várias vezes nos últimos dias que a cimeira com Putin em Helsínquia será "o encontro mais fácil" que manterá durante o périplo europeu.

Manifestante detido
O manifestante que no sábado sobrevoou de parapente o campo de golfe de Trump na Escócia foi ontem detido pela polícia.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE