Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Abatido sequestrador armado que fez reféns em sinagoga no Texas para libertar terrorista da Al-Qaeda

Forças especiais do FBI assaltaram edifício após dois dos reféns terem conseguido fugir.
Ricardo Ramos 17 de Janeiro de 2022 às 08:02
Veículos da polícia e do FBI junto à sinagoga de Colleyville durante o sequestro, que durou mais de 10 horas
Siddiqui foi detida em 2008
Veículos da polícia e do FBI junto à sinagoga de Colleyville durante o sequestro, que durou mais de 10 horas
Siddiqui foi detida em 2008
Veículos da polícia e do FBI junto à sinagoga de Colleyville durante o sequestro, que durou mais de 10 horas
Siddiqui foi detida em 2008
Forças especiais do FBI abateram na madrugada de ontem um homem que fez reféns numa sinagoga dos arredores de Forth Worth, no Texas, durante mais de 10 horas. O sequestrador, que dizia ter várias bombas, exigia a libertação de Aafia Siddiqui, uma terrorista conhecida como ‘Senhora Al-Qaeda’ que está a cumprir 86 anos de cadeia nos EUA.

O homem, cuja identidade não foi revelada mas que tem nacionalidade britânica, entrou na sinagoga Beth Israel, na localidade de Colleyville, enquanto decorria um serviço religioso, fazendo reféns o rabino e três fiéis. A celebração estava a ser transmitida via ‘streaming’ e durante as horas iniciais do sequestro ouviu-se o homem dizer que não queria fazer mal a ninguém e que, provavelmente, iria acabar por morrer.

Nas negociações com o FBI, o sequestrador exigiu a libertação de Siddiqui, que alegou ser sua irmã, e acabou por aceitar libertar um dos reféns ao fim de seis horas. Os acontecimentos precipitaram-se cerca de quatro horas depois, quando dois dos restantes reféns conseguiram fugir, altura em que elementos da Equipa de Resgate de Reféns do FBI tomaram de assalto o edifício, matando o sequestrador e libertando o refém restante. Nenhum dos reféns sofreu ferimentos e o presidente Joe Biden afirmou que se tratou de um "ato de terrorismo". 

Terrorista foi a mais procurada do FBI
Aafia Siddiqui foi durante vários anos a mulher mais procurada pelo FBI. Nascida no Paquistão, estudou nos EUA e radicalizou-se após o 11 de Setembro. Regressou ao Paquistão, onde terá casado com um sobrinho de Khalid Sheikh Mohammed, arquiteto do ataque às Torres Gémeas. Conhecida como ‘Senhora Al-Qaeda’, foi capturada em 2008 no Afeganistão com cianeto e planos para ataques em Nova Iorque. Durante um interrogatório, agarrou uma arma e disparou sobre militares americanos, sem fazer vítimas. Foi condenada nos EUA a 86 anos de prisão.
Ver comentários
}