Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Assaltantes roubam cofre de instituição de microcrédito no centro de Moçambique

Além do dinheiro, o grupo terá roubado material informático da empresa. 
Lusa 2 de Agosto de 2021 às 15:49
Assalto
Assalto FOTO: Getty Images
Um grupo de assaltantes roubou o cofre de uma empresa de microcrédito, com cerca de 78 mil meticais (1.032 euros), na cidade de Quelimane, capital da província da Zambézia, centro de Moçambique, disse hoje à Lusa fonte policial.

O grupo, que está foragido, terá arrombado a janela do estabelecimento na madrugada de sexta-feira, e depois de cortar as grades retirou o cofre, disse Sidner Lonzo, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Zambézia. 

"O cofre foi aberto uns metros depois das instalações da empresa de microcrédito", acrescentou o porta-voz. 

Além do dinheiro, o grupo terá roubado material informático da empresa. 

Segundo a polícia, o segurança da instituição encontrava-se na casa de um responsável da empresa, solicitado por este, após ter sofrido uma suposta tentativa de assalto. 

"Dias antes, houve alguém que terá tentado entrar em sua casa, então pediu que o guarda fosse para lá", referiu Sidner Lonzo. 

O assalto à empresa de microcrédito ocorreu menos de 24 horas depois de um grupo armado ter assaltado, na quinta-feira, a caixa-forte da principal agência do Banco Comercial e de Investimentos (BCI), um dos principais em Moçambique, naquela província. 

O grupo, composto por cinco pessoas, terá invadido a caixa-forte do banco e roubado uma quantia de dinheiro ainda não calculada, após um dos funcionários autorizar a entrada da viatura em que seguia na parte restrita das instalações do balcão, disse à Lusa, na quinta-feira, o porta-voz da PRM. 

As constatações preliminares da polícia, avançadas à Lusa, indicam ainda que o grupo terá ameaçado cinco funcionários que estavam no interior com recurso a pistolas e roubado o dinheiro, tendo deixado os funcionários trancados num dos compartimentos. 

O BCI é detido em 97% pelos bancos portugueses Caixa Geral de Depósitos (CGD), através da Parbanca SGPS e BPI.

Ver comentários