Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Quase 500 municípios do Brasil com reforço de segurança para as eleições

As autoridades eleitorais investigam há semanas as ameaças que alguns eleitores receberam nas favelas do Rio de Janeiro.
Lusa 26 de Setembro de 2018 às 17:44
Polícia Federal do Brasil
Jair Bolsonaro é um dos candidatos mais controversos
Polícia Federal do Brasil
Jair Bolsonaro é um dos candidatos mais controversos
Polícia Federal do Brasil
Jair Bolsonaro é um dos candidatos mais controversos

Quase 500 municípios brasileiros vão contar com o reforço das Forças Armadas para garantir a segurança durante a realização das eleições presidenciais de outubro, informaram esta quarta-feira fontes oficiais.

A maioria das localidades que solicitaram o envio de um contingente de tropas do Exército encontra-se nas regiões norte e nordeste do país, pautadas pela pobreza e pela violência, conforme indica o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão que supervisiona as eleições no Brasil.

Numa primeira decisão, aquele tribunal determinou o reforço federal para 370 localidades em sete estados brasileiros, sendo eles Mato Grosso do Sul, Ceará, Acre, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

Em reunião realizada na terça-feira, os juízes do TSE aprovaram a atuação de contingentes em 117 cidades nos estados do Pará, Amazonas, Mato Grosso, Tocantins e outras 10 cidades no Piauí.

"Os pedidos foram formulados pelos juízes das respectivas zonas eleitorais em cada estado com o objetivo de garantir a normalidade da eleição, o livre exercício do voto e o bom desenvolvimento na hora de apurar os resultados", indicou o tribunal num comunicado.

Os pedidos aprovados serão agora encaminhados para o Ministério da Defesa, responsável pela planificação e execução das ações implementadas pelas Forças Armadas.

Segundo o documento Atlas da Violência de 2018, nas regiões norte e nordeste do Brasil encontram-se os sete estados com maior taxa de homicídio por cada 100.000 habitantes, casos do Sergipe, Alagoas, Rio Grande do Norte, Pará, Amapá, Pernambuco e Bahía.

No caso do Rio de Janeiro, a área de segurança já está sob intervenção federal das Forças Armadas desde fevereiro passado, para conter a onda de violência desencadeada após a celebração dos Jogos Olímpicos de 2016, onde as tropas foram autorizadas em 69 municípios.

As autoridades eleitorais investigam há semanas as ameaças que alguns eleitores receberam nas favelas do Rio de Janeiro para votar em determinados candidatos nas próximas eleições.

Segundo o juiz Mauro Nicolau, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio, "mais de 40% (da população do Rio de Janiero) está sob influência de forças ilegais", o que implica um número total de "entre 1,4 e 1,7 milhões de eleitores".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)