Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Cunhado do rei de Espanha tem até segunda-feira para se entregar

Marido da infanta Cristina já foi notificado pelo Tribunal de Palma de Maiorca.
Ricardo Ramos 14 de Junho de 2018 às 01:30
Iñaki Urdangarin
O marido da infanta Cristina, Inaki Urdangarin
Cristina e Iñaki (na foto com os filhos) deixaram de comparecer nos eventos oficiais
Iñaki Urdangarin, genro do rei de Espanha, e a sua mulher, infanta Cristina
Iñaki Urdangarin
O marido da infanta Cristina, Inaki Urdangarin
Cristina e Iñaki (na foto com os filhos) deixaram de comparecer nos eventos oficiais
Iñaki Urdangarin, genro do rei de Espanha, e a sua mulher, infanta Cristina
Iñaki Urdangarin
O marido da infanta Cristina, Inaki Urdangarin
Cristina e Iñaki (na foto com os filhos) deixaram de comparecer nos eventos oficiais
Iñaki Urdangarin, genro do rei de Espanha, e a sua mulher, infanta Cristina
O Tribunal de Palma de Maiorca deu esta quarta-feira um prazo de cinco dias para o cunhado do Rei de Espanha, Iñaki Urdangarin, dar entrada na prisão para cumprir a pena de cinco anos e dez meses de cadeia a que foi condenado por desvio de fundos, fraude, branqueamento de capitais, prevaricação e tráfico de influências no caso Nóos.

Urdangarin, que viajou de Genebra, onde reside, até Palma de Maiorca para recolher a notificação, esteve pouco mais de cinco minutos no tribunal e saiu cabisbaixo perante os gritos de "ladrão" e "aldrabão" de dezenas de pessoas concentradas no exterior.

De acordo com a notificação judicial, o marido da infanta Cristina de Espanha tem até segunda-feira para se apresentar numa cadeia à sua escolha para começar a cumprir a sentença.

Urdangarin tem ainda duas hipótese para tentar evitar a prisão. Um delas é pedir indulto, que é atribuído pelo Rei mediante proposta do Ministério da Justiça após decisão favorável nesse sentido do Tribunal de Palma, que deve primeiro ouvir o Ministério Público e a acusação particular.

O ex-duque de Palma pode ainda apresentar um recurso de amparo junto do Tribunal Constitucional para pedir a suspensão da aplicação da pena mas, mesmo que o caso seja aceite, é pouco provável que possa aguardar a decisão em liberdade.

Cadeia à escolha e inspeção médica
Se Urdangarin não recorrer, deverá apresentar-se até segunda-feira numa cadeia à sua escolha. Tal como os outros reclusos, será submetido a uma inspeção médica e avaliado por psicólogos e passará a primeira noite no módulo de novas entradas antes de se juntar ao resto dos presos.

Fraude ao Fisco afasta ministro da Cultura
O ministro da Cultura e Desporto do novo governo socialista liderado por Pedro Sánchez, Màxim Huerta, pediu esta quarta-feira a demissão do cargo após vir a público que foi condenado em 2014 por fraude fiscal e obrigado a devolver 365 939 euros à Autoridade Tributária.

Segundo o ‘El Confidencial’, o antigo jornalista e apresentador de TV usou uma empresa para justificar despesas - incluindo uma casa de praia - e pagar menos impostos entre 2006 e 2008.

A dívida ao Fisco foi regularizada no ano passado.

SAIBA MAIS
Casamento 1997 
Iñaki Urdangarin casou com a infanta Cristina a 4 de outubro de 1997, um ano depois de a ter conhecido durante os Jogos Olímpicos de Atlanta, onde jogou pela seleção espanhola de andebol. O casal tem quatro filhos.

Caso Nóos
Urdangarin foi acusado em 2001 de desviar fundos públicos através do Instituto Nóos, usando o seu estatuto como membro da família real para conseguir lucrativos contratos públicos. Foi condenado em 2017.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)