Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

EUA: Cientista condenado a 13 anos de prisão por espionagem

Um conceituado cientista espacial norte-americano foi esta sexta-feira condenado a 13 anos de prisão por vender material classificado a um agente norte-americano que se fez passar por um espião israelita, informou o Departamento da Justiça.
21 de Março de 2012 às 20:36

Stewart Nozette, 54 anos, reconheceu-se culpado em Setembro, no âmbito de um acordo com os procuradores e que evitou uma possível condenação a prisão perpétua. A pena aplicada relaciona-se com acusações de tentativa de espionagem, conspiração para prejudicar os Estados Unidos e evasão fiscal.

Nozette concordou em fornecer informação confidencial relacionada com o seu trabalho ultra-secreto a um agente dissimulado do FBI e que nos contactos se apresentou como um membro da Mossad, os serviços secretos de Israel.

Graduado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Nozette trabalhou no Pentágono, no Departamento de Energia, na agência espacial NASA e no Conselho Espacial da Casa Branca, antes de fundar uma companhia tecnológica com contratos governamentais e elevados níveis de segurança.

Após os contatos com o suposto espião israelita, e de ter recebido 225 mil dólares (170 mil euros) por diversas informações fornecidas ao agente do FBI, Nozette terá ainda alegadamente solicitado dois milhões de dólares num encontro final com o agente em Outubro de 2009.

espionagem prisão eua israel fbi
Ver comentários