Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Filho de Bolsonaro destituído do comando do seu partido em São Paulo

Eduardo Bolsonaro já tinha sido suspenso de todas as funções partidárias por um ano por alegada conduta anti-ética e anti-partidária.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 6 de Dezembro de 2019 às 18:25
Deputado brasileiro Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Deputado brasileiro Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Deputado brasileiro Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, foi destituído da presidência regional do Partido Social Liberal, PSL, no estado de São Paulo. A decisão foi tomada e anunciada pela direção nacional do PSL, partido pelo qual tanto Eduardo Bolsonaro como o pai se elegeram em outubro do ano passado e do qual o presidente brasileiro saiu há duas semanas para criar o seu próprio partido.

Na terça-feira passada, Eduardo Bolsonaro já tinha sido alvo de outra situação desagradável dentro do seu partido, sendo suspenso de todas as funções partidárias por um ano por alegada conduta anti-ética e anti-partidária. Nos últimos três meses, durante a tentativa de Jair Bolsonaro de tomar à força o comando do PSL, Eduardo, com um conhecido temperamento explosivo e agressivo, tomou diversas medidas visando afastar do cargo o presidente nacional da entidade, o deputado Luciano Bivar.

Durante essa guerra interna, Eduardo manobrou e conseguiu destituir o então líder da bancada do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir, e assumir esse cargo com uma polémica interferência pessoal do pai. Após a suspensão do partido por indisciplina e tentativa de derrubar a comissão nacional legitimamente eleita para dar o comando do partido ao pai, Eduardo Bolsonaro deve agora perder também a liderança da bancada, o que a direção do partido ainda não fez por respeito à autonomia dos seus parlamentares, a quem cabe proceder ou não à mudança.

Além de Eduardo Bolsonaro, que recebeu o castigo mais severo, outros 17 dos 53 deputados do partido receberam punições diversas, de acordo com a sua participação na tentativa de derrubar as lideranças eleitas. Percebendo que não conseguiria tomar o poder no PSL, Jair Bolsonaro e outro filho, o senador Flávio Bolsonaro, deixaram o partido em novembro e estão a criar outro, o Aliança Pelo Brasil, que, no entanto, pode não ser oficializado a tempo de disputar as eleições municipais do próximo ano.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)