João de Deus, o médium acusado de abusar de mais de 300 mulheres

Entre as mais de três centenas de acusações de abusos sexuais e violações, está a da filha.
Por Cátia Andrea Costa / SÁBADO|14.12.18

"Vou fazer um trabalho espiritual contigo". Dalva Teixeira garante que esta foi uma das frases que o pai, o médium João de Deus, lhe disse na noite que a violou pela primeira vez, tinha então 10 anos. Quase quarenta anos depois, é uma das mais de 330 mulheres que acusam João Teixeira de Faria – o seu verdadeiro nome – de violação sexual e abuso. Um número que aumenta todos os dias, havendo histórias que remontam aos anos 80 do século passado. E que levaram a justiça de Góias a decretar a prisão preventiva do "espirita", revela a Sábado.

"Ele chegou à fazenda, pegou numa vela branca e disse-me para a marcar com uma unha. Eu fiz e ele revelou: ‘O pai vai ter que ficar contigo até o fogo atingir essa marca, vou fazer um trabalho espiritual contigo", relatou Dalva à revista Veja, explicando que a madrasta assistiu a toda a conversa. Já no quarto, explicou, o pai despiu-se e massajou o pénis pelo seu corpo. A criança terá dito que o pai a estava a magoar, mas a violação continuou. Os abusos, contou, ocorreram dos dez aos 14 anos, "em casa, no carro e durante viagens".

A primeira vez que Dalva denunciou o pai foi em 2016, mas um ano depois apareceu ao lado de João de Deus a negar os abusos. A mulher garante que só participou no vídeo por ter sido coagida pela defesa do médium mais famoso do Brasil.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!