Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Pedro Sánchez não consegue votos suficientes e Espanha fica mais perto de novas eleições

Pedro Sánchez voltou a não conseguir esta quinta-feira os votos necessários para formar governo.
Rita F. Batista 26 de Julho de 2019 às 08:45
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez
Pedro Sánchez não conseguiu os votos suficientes para formar governo na segunda ronda de votações que se realizou no parlamento espanhol, ontem ao início da tarde. Com 124 votos a favor de Sánchez, 155 contra e 67 abstenções, Espanha continua num impasse político, até pelo menos ao dia 23 de setembro. Se o problema não for resolvido, terão de ser marcadas novas eleições.

O fracasso das negociações de quarta-feira entre o PSOE e o Podemos, de Pablo Iglesias, fazia aliás prever uma nova derrota de Sánchez. As previsões confirmaram-se e os votos a favor não foram suficientes, por larga margem, para a vitória do líder socialista, apesar de um último apelo que dirigiu a Pablo Iglesias: "Não leve os espanhóis a eleições, negoceie connosco."

O Podemos, no entanto, manteve as exigências feitas durante as negociações do dia anterior: uma vice-presidência e cinco ministérios. O PSOE só colocou na mesa uma vice-presidência e três ministérios - Saúde, Habitação e Igualdade.

Os 124 votos a favor vieram naturalmente da bancada socialista e ainda do deputado do Partido Regionalista da Cantábria. Da anterior votação para esta apenas mudou a abstenção. Os 15 deputados da Esquerda Republicana da Catalunha, que tinham votado ‘não’, desta vez abstiveram-se.

Para Pedro Sánchez "entre forças de esquerda, o Governo tinha de estar garantido desde o primeiro momento", mas "o acordo não foi possível".
O primeiro-ministro espanhol em exercício culpa o partido de Pablo Iglesias por não ter aceitado a proposta "generosa" dos socialistas.

O PSOE tem até setembro para apresentar uma nova tentativa, antes da marcação de eleições antecipadas para novembro. O rei Felipe VI tem agora de decidir se vai voltar a convidar o primeiro-ministro do executivo de gestão para ser candidato.

SAIBA MAIS
10
de novembro é a possível data para a realização de eleições parlamentares antecipadas em Espanha, caso o partido de Pedro Sánchez não consiga chegar a um consenso político em breve de forma a ter condições para formar governo.

Eleições gerais de 2019
O PSOE foi o partido mais votado nas eleições gerais de 28 de abril. O partido de Sánchez conseguiu 28,8% dos votos, elegendo 123 deputados de um total de 350. Para conseguir formar governo precisa agora de alcançar uma maioria simples.
Pedro Sánchez Pedro Sanchez Espanha PSOE Podemos Pablo Iglesias
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)