Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

"Senti-me como um E.T.": Professor de quarentena por suspeita de ter vírus mortal

Britânico começou a sentir uma grande dificuldade em respirar quatro dias depois de chegar ao Reino Unido.
Correio da Manhã 25 de Janeiro de 2020 às 11:49
Doença respiratória na China
Doença respiratória na China

O professor de arte Michael Hope começou a sentir-se mal quando regressou ao Reino Unido depois de ter estado em Wuhan, na China. Passados quatro dias de estar na cidade natal, o britânico começou a ter graves dificuldades em respirar e tossia continuamente.

Depois de telefonar ao médico a descrever o que sentia, o professor de 45 anos ficou de quarentena durante 48 horas, mantido numa sala fechada, enquanto os médicos lhe realizavam um rastreio para perceberem se tinha contraído coronavírus. O homem disse que os médicos vestiam um fato "espacial".

"Senti-me como um E.T. Foi surreal", confessou o professor em declarações ao The Guardian.

"No início, o médico disse-me para ir à cirurgia e disse que podíamos usar máscaras mas depois as coisas mudaram rapidamente e disseram-me para ficar em casa, para não sair, que vinham eles visitar-me", explicou Michael Hope.

A Unidade de Doenças Infeciosas de Newcastle pediu ao professor para ficar em casa e estiveram a preparar-lhe um quarto isolado.

Michael Hope recebeu alta na noite de quinta-feira, 23 de janeiro, depois de os exames confirmarem que não tinha coronavírus mas sim uma gripe normal.

Apesar de se ter sentido um ET, o professor de arte confessou que o plano de assistência está bem planeado e que tudo foi feito para a saúde das pessoas em geral e não apenas para a sua.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)