Correio da Manhã

Assessores de Robles custam 1,3 milhões à Câmara de Lisboa
Foto Inês Gomes Lourenço
Foto Twitter
Prédio de Ricardo Robles em Alfama foi vandalizado
Foto Direitos Reservados
Concelhia de Lisboa do PSD diz que renúncia de Robles retira razão a Catarina Martins
Por Débora Carvalho | 01:55
  • Partilhe
Contrato de assessoria mais elevado estipula vencimento mensal de 3271 euros. Maioria está ligada ao BE.

Os dez assessores contratados externamente pelo município de Lisboa para o gabinete de Ricardo Robles, antigo vereador do Bloco de Esquerda, custam cerca de 1,3 milhões de euros. Os valores variam, mas os contratos mais elevados preveem o pagamento de 3271 euros mensais, mais IVA.

Os contratos publicados no portal Base (contratação pública) de novembro de 2017 a maio deste ano – a maioria para os quatro anos de mandato – revelam que muitos dos nomes são do aparelho do partido há vários anos. Um dos exemplos é o de Rodrigo Rivera, que foi candidato pelo Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal pela Junta de Freguesia de Arroios – não foi eleito – e foi contratado para assessor de comunicação.

Segundo uma deliberação de 2 de novembro de 2017, um vereador com pelouro – como era o caso de Robles – tem direito a seis assessores e dois administrativos. É possível, no entanto, contratar mais assessores desde que não se ultrapasse a verba máxima disponível. Fonte oficial do BE garante que "o plafond máximo de contratações não foi atingido" com os os dez assessores. Os oito vereadores com pelouro – incluindo o presidente Fernando Medina – contam com 55 assessores.

Resta saber se parte dos dez assessores transitam agora para o gabinete de Manuel Grilo, que vai ocupar o cargo na câmara que pertencia a Ricardo Robles. Cabe a Manuel Grilo decidir com quem quer continuar a trabalhar. Certo é que "a cessação de funções do vereador implica a caducidade dos contratos" de prestação de serviços. "Encontramo-nos numa fase de transição. A equipa para já mantém -se para coordenar o enorme trabalho que a câmara tem nas áreas da Educação e dos Direitos Sociais, nomeadamente preparar o início de ano letivo e garantir a continuidade dos inúmeros projetos", refere o BE.

124 assessores e secretárias para os 17 vereadores
A Câmara de Lisboa tem 124 assessores e secretárias para 17 vereadores. Só os vereadores com pelouro têm 55 assessores. Os que não têm pelouro - Assunção Cristas, Teresa Leal Coelho e João Ferreira - têm apenas um assessor cada um e um administrativo. Para além do pessoal afeto diretamente a cada vereador, os gabinetes de apoios às forças políticas contam com 19 elementos: PS (3), CDS (5), PSD (4), CDU (4), BE (3). A que se somam mais seis funcionários administrativos. 

Bloquista que saiu criticou especulação imobiliária na capital
Ricardo Robles abandonou todos os cargos políticos que ocupava, depois da polémica que surgiu por ter posto à venda um prédio avaliado em 5,7 milhões de euros – comprado, em 2014, por 347 mil euros num leilão do Estado. O bloquista era um grande defensor do direito à habitação, criticando a especulação imobiliária em várias intervenções. Não aguentou as críticas, apesar de o Bloco o ter apoiado.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE