Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Chega quer comissão anual para investigar atuação do governo nos incêndios

É destacada a "responsabilidade do Governo delinear estratégias nacionais que visem atenuar a ocorrência dos incêndios".
Sérgio A. Vitorino 18 de Agosto de 2022 às 16:50
André Ventura, líder do Chega
André Ventura, líder do Chega FOTO: Pedro Catarino

Os deputados do Chega pediram esta quinta-feira a "constituição imediata" de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, que deverá apresentar resultados em 120 dias, para "fiscalizar a ação do governo" na "estratégia de prevenção e combate aos incêndios florestais". O partido de extrema-direita sugere que a comissão seja anual e constituída sempre em novembro, após a época mais crítica de incêndios.

Na exposição de motivos, os deputados do Chega recordam as 115 mortes de 2017 e referem que "este ano a situação também é preocupante". "Portugal é neste momento o terceiro país da União Europeia com a maior percentagem de área ardida. Só a Espanha e a Roménia nos ultrapassam. O número de ocorrências registadas é também o mais elevado dos últimos cinco anos. Já temos a lamentar 3 mortos, mais de 200 feridos e perto de 900 pessoas evacuadas preventivamente. A principal autoestrada do país foi já cortada 2 vezes", descrevem.

É destacada a "responsabilidade do Governo delinear estratégias nacionais que visem atenuar a ocorrência dos incêndios e as consequências que estes trazem às populações" e referido que há carências pela "incipiente profissionalização do modelo de combate aos fogos, a escassez de recursos humanos e materiais, incluindo-se nestes últimos os meios aéreos"."Os sucessivos Governos têm-se mostrado incapazes de dar resposta a este problema, escudando-se normalmente, e sempre que as coisas correm mal, em acontecimentos imprevistos ou que fogem a qualquer possibilidade de previsão ou controlo", acusam.

Ver comentários