Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Liberais travam subida do Chega e esmagam CDS

PS segura primeiro lugar com PSD a subir. Iniciativa Liberal surpreende e alcança CDU.
Salomé Pinto 19 de Fevereiro de 2021 às 01:30
João Cotrim Figueiredo
João Cotrim Figueiredo FOTO: Lusa
O crescimento dos Liberais para 5,6% nas intenções de voto para as eleições Legislativas é a maior surpresa do barómetro da Intercampus para o CM/CMTV e ‘Negócios’, realizado em fevereiro, no rescaldo das Presidenciais. Uma subida que coloca a Iniciativa Liberal (IL) quase ao mesmo nível da CDU (5,8%), em quinto lugar, e que funciona como um travão ao crescimento do Chega e esmaga o CDS, agora com 2,7%, menos de metade das intenções de voto da IL.

De terceira força partidária, ao lado do BE, o partido de André Ventura regressa à quarta posição, registando 7,3%, a maior queda deste barómetro. Ventura, também é o líder com a pior classificação (1,9 numa escala de 1 a 5).

Perante o impacto da terceira vaga da pandemia e a polémica em torno da vacinação, o PS, de António Costa, passa incólume na avaliação dos eleitores: desce ligeiramente, mas segura o primeiro lugar com 37,6% das intenções de voto. Logo atrás, o PSD, de Rui Rio, sobe apenas seis décimas, não conseguindo descolar dos 24%. O BE cai quase um ponto para 8,2%, mas recupera o terceiro lugar com a queda do Chega. Em rota descendente surge também o PAN, mantendo-se como sétima força. O CDS continua em penúltimo, só à frente do Livre.








FICHA TÉCNICA
Objetivo Sondagem realizada pela Intercampus para o CM e a CMTV, com o objetivo de conhecer a opinião dos portugueses sobre diversos temas da atualidade nacional Universo População portuguesa, com 18 ou mais anos, eleitoralmente recenseada, residente em Portugal continental Amostra É constituída por 609 entrevistas, com a seguinte distribuição: 293 a homens e 316 a mulheres; 134 a pessoas entre os 18 e os 34 anos, 219 entre os 35 e os 54 anos e 256 a pessoas com 55 ou mais anos; 232 no Norte, 143 no Centro, 163 em Lisboa, 45 no Alentejo e 26 no Algarve Seleção da amostra A seleção do lar fez-se através da geração aleatória de números de telefone fixo/móvel. No lar a seleção do respondente foi realizada através do método de quotas de género e idade (3 grupos). Foi elaborada uma matriz de quotas por região (NUTS II), género e idade, com base nos dados do Recenseamento Eleitoral da população portuguesa (31/12/2016) da Direção-Geral da Administração Interna (DGAI) Recolha da informação Através de entrevista telefónica, em total privacidade, através do sistema CATI. Os trabalhos de campo decorreram entre 8 e 13 de fevereiro de 2021 Margem de erro O erro máximo de amostragem, para um intervalo de confiança de 95%, é cerca de 4,0% Taxa de resposta 61,2%.
Ver comentários