Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Marcelo avisa que Forças Armadas não podem servir “jogos de poder e interesses pessoais”

Milhares de militares e forças de segurança desfilaram em Lisboa.
Sara G. Carrilho e Pedro Ramos Bichardo 5 de Novembro de 2018 às 01:30
A carregar o vídeo ...
"Não vamos tolerar que se repita a sangrenta divisão da Europa", avançou Presidente da República.

Perante milhares de militares do Exército, Força Aérea, Marinha, GNR e polícias da PSP, dos antigos Chefes de Estado, general Ramalho Eanes e Jorge Sampaio, entre entidades portuguesas e estrangeiras presentes na cerimónia que assinalou os 100 anos do armistício da I Grande Guerra, ontem, em Lisboa, o Presidente da República só precisou de cinco minutos e meio de discurso para deixar vários avisos às Forças Armadas.

As imagens dos militares portugueses que saíram à rua nos 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial

"Não toleraremos que se repita o uso das Forças Armadas ao serviço de interesses pessoais ou de grupo, de jogos de poder, enquanto soldados se batem todos os dias, no centro de África, no norte, leste, sul da Europa , no Golfo da Guiné, pela Pátria e pela Humanidade", declarou Marcelo Rebelo de Sousa. Palavras que surgem numa altura em que casos na Justiça – como a recuperação encenada das armas de Tancos e as mortes no curso de Comandos – ensombram os militares. O Presidente homenageou não só os mais de 7500 soldados portugueses que morreram na I Grande Guerra – na qual participaram 100 mil – e em missões posteriores, mas também os que estão vivos. Foi ainda enaltecida a atuação nacional e internacional militar. "Sem o vosso prestígio, sem o respeito e admiração pela vossa missão insubstituível, não há liberdade nem segurança, nem democracia, nem paz que possam vingar", afirmou Marcelo .

A cerimónia sem precedentes, organizada pela Liga de Combatentes e pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas teve como ponto alto uma parada militar pela Av. da Liberdade que juntou, em terra, no ar e no rio Tejo, 4500 militares e polícias e quase 200 veículos.

Frases de Marcelo Rebelo de Sousa

"Não toleraremos que se repita o uso das forças armadas ao serviço de interesses pessoais ou de grupo, de jogos de poder."

"Hoje mais do que nunca queremos afirmar os valores que nos identificam como nação."

"Quem dentro ou fora de vós isto não entender, não entendeu nada do passado, do presente nem do futuro de Portugal."


Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)