Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

PSD quer ouvir no parlamento ministro do Ambiente sobre gestão da bacia do Tejo

Partido considera ainda que "há duas dimensões estratégicas que merecem especial reflexão".
Lusa 7 de Outubro de 2021 às 14:17
João Pedro Matos Fernandes
João Pedro Matos Fernandes FOTO: Lusa
O PSD quer ouvir no parlamento o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, sobre a gestão da bacia hidrográfica do rio Tejo, considerando "fundamental adotar novas soluções que permitam lidar com a tendência de redução dos caudais".

Além do ministro do Ambiente e da Ação Climática, os sociais-democratas pretendem ouvir o presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, o bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Aires, especialistas em recursos hídricos, a Associação de Agricultores do Ribatejo e o movimento ProTejo.

O PSD entregou um requerimento em que pede que estas audições decorram nas Comissões de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território e Agricultura e Mar.

"É fundamental repensar a gestão da bacia hidrográfica do rio Tejo e adotar novas soluções que permitam lidar com a tendência de redução dos caudais provenientes de Espanha, num contexto de agravamento associado às alterações climáticas e ao crescimento das pressões antropogénicas de ambos os lados da fronteira", justificam os sociais-democratas.

O partido considera que "há duas dimensões estratégicas que merecem especial reflexão", nomeadamente a "infraestrutural", com "novas soluções hidráulicas para a gestão da bacia do Tejo", e a "organizacional", que se prende com a "necessidade de reforçar a gestão dos recursos hídricos".

No que concerne à dimensão infraestrutural, o PSD aponta para o "reforço dos caudais a partir do rio Zêzere e da barragem do Cabril ou a construção de uma nova barragem no rio Ocresa (afluente do Tejo)".

Já no que diz respeito à dimensão "organizacional", o partido defende a necessidade de se ter em conta os "fins múltiplos dos recursos hídricos, potenciando atividades como a agricultura, o turismo ou a produção de energia renovável.

"Ao longo dos anos, apesar de se discutirem pontualmente projetos e iniciativas para o rio Tejo, pouco tem sido concretizado de âmbito estrutural para mitigar os problemas hidrológicos e para criar novas oportunidades socioeconómicas associadas aos recursos naturais. Continua a assistir-se a uma degradação dos ecossistemas e dos serviços ambientais prestados", considera o PSD.

O Tejo, que é o rio mais extenso da Península Ibérica, nasce na serra de Albarracín, em Espanha, e desagua no Oceano Atlântico, na região de Lisboa.

PSD Tejo João Pedro Matos Fernandes Espanha ambiente água política governo (sistema) política (geral)
Ver comentários