Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Sócrates preferido para enfrentar crise

Os portugueses consideram que José Sócrates é o político português mais bem preparado para enfrentar a crise económica mundial. Este é o resultado de uma sondagem CM/Aximage que revela que o actual primeiro-ministro, apesar das críticas, é o político que reúne maior confiança junto dos eleitores para conduzir esta missão, com 37,6% dos votos.

11 de Outubro de 2008 às 00:30
Sócrates preferido para enfrentar crise
Sócrates preferido para enfrentar crise

O nome do chefe do Governo é seguido pelo da líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, na qual acreditam 17,8% dos portugueses. No terceiro lugar da lista de preferências está o Presidente da República, Cavaco Silva, que, de acordo com 13,3% dos entrevistados, é o político que está em melhores condições de enfrentar a crise económica.

Mais abaixo surgem nomes como o de Francisco Louçã (4,2%), Jerónimo de Sousa (2,5%), Durão Barroso (2,4%), Manuel Alegre (2,2%) e Marcelo Rebelo de Sousa e Mário Soares (ambos com 2%).

No que se refere à intenção de voto legislativo dos portugueses, o PS continua, de mês para mês, a conquistar terreno em relação ao PSD. Depositam confiança nos socialistas 38% dos eleitores, enquanto os social-democratas reúnem 28,5% das intenções de voto.

O afastamento entre o PS e o PSD tem-se acentuado desde Agosto de 2008, depois de os social-democratas terem conquistado um empate técnico com o PS em Julho, pouco depois de Manuela Ferreira Leite ser eleita líder laranja, em 31 de Maio de 2008.

Mas a estratégia de silêncio de Ferreira Leite nos primeiros meses de mandato relativamente a temas dominantes, como a questão da insegurança, reflectiu-se em perda de confiança para o PSD.

De Julho até Outubro de 2008, a intenção de voto legislativo no partido caiu de 32% para 28,5%, ao mesmo tempo que a intenção de voto no PS aumentou dos 32,5% para os 38%.

MÁRIO LINO É O MENOS POPULAR

O ministro das Obras Públicas, Mário Lino, é o que reúne menor popularidade entre os portugueses, com 9,3 por cento dos votos. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, é o mais popular entre os eleitores, com 11,1 por cento dos votos. Segue-se o ministro da Cultura, Pinto Ribeiro, que ocupa o segundo lugar da lista de preferência dos entrevistados (10,4%).

FERREIRA LEITE PERDE CONFIANÇA

José Sócrates é apontado como o preferido dos portugueses para exercer o cargo de primeiro-ministro. De Junho até Outubro de 2008, a confiança em Sócrates subiu de 37,9% para 40,9%. Pelo contrário, a aposta na líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, caiu de 33,3% em Junho para 28,4 % em Outubro.

PORMENORES

CAVACO VAI 'BEM'

A maioria dos portugueses (57,5%) considera que a actuação de CavacoSilva na Presidência da República, nos últimos 30 dias, vai ‘bem’.

AVALIAÇÃO CAI

De Abril de 2008 até à actualidade, a nota dos portugueses à actuação do Presidente da República caiu de 16,5 para 14,5 (em 20).

SONDAGEM: CRISE ECONÓMICA MUNDIAL

QUAL O POLÍTICO PORTUGUÊS MELHOR PREPARADO PARA A ENFRENTAR?

José Sócrates: 37,6%

Manuela Ferreira Leite: 17,8%

Cavaco Silva: 13,3%

Francisco Louçã: 4,2%

Jerónimo de Sousa: 2,5%

Durão Barroso: 2,4%

Manuel Alegre: 2,2%

Marcelo Rebelo de Sousa: 2,0%

Mário Soares: 2,0%

Paulo Portas: 1,8%

Teixeira dos Santos: 1,7% 

Alberto João Jardim: 1,6%

Luís Filipe Menezes: 1,4%

Outros nomes: 5,6%

Nenhum: 3,8%

INTENÇÃO DE VOTO LEGISLATIVO

PS: 38,0% (Outubro) / 35,7% (Setembro)

PSD: 28,5% (Outubro) / 28,9% (Setembro)  

BE: 9,3% (Outubro) / 9,3% (Setembro) 

CDU: 9,2% (Outubro) / 10,4% (Setembro) 

CDS-PP: 3,8% (Outubro) / 3,8% (Setembro) 

CONFIANÇA PARA PRIMEIRO-MINISTRO

José Sócrates: 37,9% (Junho); 36,1% (Julho); 37,0% (Agosto); 38,7% (Setembro); 40,9% (Outubro) 

Manuela Ferreira Leite: 33,3% (Junho); 33,1% (Julho); 33,2% (Agosto); 30,3% (Setembro); 28,4%(Outubro) 

FICHA TÉCNICA

OBJECTIVO: Temas de actualidade social e Barómetro mensal  Universo Indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidores de telemóvel  

AMOSTRA: Aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo. Foi extraída de um subuniverso obtido de forma idêntica. A amostra contou com 600 entrevistas efectivas, das quais 317 a mulheres. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral  

TÉCNICA: Entrevista telefónica por C.A.T.I. (Computer Assisted Telephonic Interview)  

TRABALHO DE CAMPO: Decorreu entre os dias 6 e 8 de Outubro de 2008  

ERRO PROBABILÍSTICO: Para o total de uma amostra aleatória simples com 600 entrevistas, o desvio-padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma margem de erro - a 95% - de 4,00%)

TAXA DE RESPOSTA: 75,6%

RESPONSABILIDADE DO ESTUDO: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e João Queiroz

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)