Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Dois mortos em queda de aeronave em Bragança

Alerta para "explosão e queda de aeronave ligeira" na zona de Aveleda e Rio de Onor, foi dado às 17h54.
16 de Março de 2019 às 18:40
Dois mortos em queda de aeronave em Bragança
Horácio Sousa perdeu a vida em queda de aeronave
André Bessa perdeu a vida em despiste de aeronave
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois mortos em queda de aeronave em Bragança
Horácio Sousa perdeu a vida em queda de aeronave
André Bessa perdeu a vida em despiste de aeronave
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois mortos em queda de aeronave em Bragança
Horácio Sousa perdeu a vida em queda de aeronave
André Bessa perdeu a vida em despiste de aeronave
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois homens morrem em queda de avioneta em Bragança
Dois homens morreram este sábado após a queda de um avião monomotor em Varge, Bragança. As vítimas tratar-se-ão de Horácio Sousa, um conhecido empresário de Bragança de 60 anos, e André Bessa, um jovem piloto em formação na TAP com 26 anos.

Segundo fonte do CDOS de Bragança, o alerta para uma "explosão e queda de aeronave ligeira" na zona de Aveleda e Rio de Onor, foi dado às 17h54. De acordo com fonte aeronáutica, "ambos tinham 'brevet' de piloto".

A aeronave, que fazia um "voo de recreio", pertence ao Aeroclube de Bragança.

A avioneta que caiu ao final da tarde na zona de Aveleda e Rio de Onor, num local muito próximo do Aeródromo de Bragança, tinha sido usada pouco tempo antes por um outro membro daquele aeroclube, o piloto Telmo Garcia.

O piloto referiu, em declarações à Lusa, que o voo que fez correu bem e que não detetou "nenhum problema" na aeronave ultraligeira de dois lugares.

Telmo Garcia contou à Lusa que tinha aterrado o aparelho, "comprado recentemente", cerca das 17h00 no aeródromo de Bragança.

Para aquele piloto, "tudo aponta para que tenha sido falha estrutural do aparelho", visto que "uma asa está a cerca de 150 metros dos outros destroços".

Flávio Alves foi uma das testemunhas oculares do acidente. Estava na aldeia de Varge e já tinha visto o avião dar "três ou quatro voltas na zona".

No momento da queda, contou, viu o avião de frente, ouviu uma explosão e peças a cair.

No local estiveram 17 operacionais apoiados por cinco veículos.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAFF) vai enviar uma equipa para o local para iniciar uma investigação.
Bragança Varge acidentes e desastres acidentes de transporte
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)