Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Bombeiro tenta acudir família e morre com queimaduras

Gonçalo Conceição era bombeiro há 17 anos. Deixa um filho de 11 anos.
I.J. e D.P. 20 de Junho de 2017 às 15:31
Gonçalo não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer. Combateu o seu último fogo em Pedrógão Grande
Marcelo visitou o quartel de Castanheira de Pera e consolou operacionais
Gonçalo não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer. Combateu o seu último fogo em Pedrógão Grande
Marcelo visitou o quartel de Castanheira de Pera e consolou operacionais
Gonçalo não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer. Combateu o seu último fogo em Pedrógão Grande
Marcelo visitou o quartel de Castanheira de Pera e consolou operacionais
Morreu esta segunda-feira um bombeiro de Castanheira de Pera que estava hospitalizado com queimaduras graves, o que levou o comando da corporação a retirar da frente de fogo as equipas que continuavam a combater o incêndio.

Gonçalo Conceição, 40 anos, casado e com um filho de 11 anos, proprietário de um restaurante, estava hospitalizado desde sábado e o seu estado era considerado muito grave.

Foi um dos cinco bombeiros atingidos pelas chamas quando socorriam uma família que estava encarcerada num carro, após colidir com o autotanque.

Os outros feridos continuam hospitalizados e "a lutar até ao fim", disse ao CM o 2.º comandante, José Fernandes, adiantando que a notícia da morte deixou "completamente arrasados" os bombeiros de Castanheira de Pera.

"O momento é de grande consternação e tristeza", mas também de "dor e luto", salientou.

Já Marcelo Rebelo de Sousa destacou o facto de Gonçalo Conceição, bombeiro há 17 anos, ter morrido "em cumprimento do dever e ao serviço de todos nós".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)