Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Câmara de Santo Tirso confirma 54 animais mortos no fogo que deflagrou em abrigo. Saiba quantos foram resgatados

Fogo, que foi dado como dominado já durante a madrugada, deflagrou no canil este sábado à noite.
Correio da Manhã 19 de Julho de 2020 às 18:15
A Câmara Municipal de Santo Tirso anunciou este domingo que 54 animais perderam a vida, entre eles 52 cães e dois gatos, no incêndio que deflagrou este sábado à noite.

Num comunicado divulgado, a autarquia refere que foi possível retirar 110 cães com vida no período de rescaldo do fogo, realizado já de madrugada.
Durante este domingo tem estado em curso um plano para retirar mais animais do espaço.

"Até ao momento, 13 animais foram já realojados no Canil/Gatil Municipal de Santo Tirso", pode ler-se no documento.

A câmara tirsense adianta ainda que os seus serviços de proteção animal, "em articulação com o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), deu apoio a um cão que se encontrava no abrigo de animais, transportando-o para uma clínica, na qual recebeu tratamentos devido a ferimentos e dificuldades respiratórias".

"A Câmara Municipal de Santo Tirso assumiu, desde a primeira hora, as suas responsabilidades no terreno, bem como realizou todos os esforços para salvaguardar a vida dos animais, não podendo sobrepor-se às entidades que coordenaram as operações", pode ler-se no comunicado.

"Dado o número elevado de animais em causa, foram estabelecidos contactos com a Direção-Geral de Veterinária e com outros municípios, no sentido de arranjar alternativa ao abrigo para os restantes animais", adianta ainda a câmara.

A autarquia nega, no entanto que os Serviços Municipais de Proteção Animal "tenham impedido a entrada de pessoas no abrigo de animais ameaçado pelo fogo".

A GNR esclareceu este domingo que a morte de animais no incêndio em Santo Tirso não se deveu ao facto de ter impedido o acesso ao local de populares, mas à dimensão do fogo e à quantidade de animais.

Segundo a GNR, na sequência do incêndio que se iniciou no sábado, numa zona florestal da freguesia de Sobrado, concelho de Valongo, e que se propagou para a freguesia de Agrela, no concelho de Santo Tirso, "foi consumido parte de um terreno, no qual se encontravam diversas instalações com cães".

"Enquanto o incêndio deflagrava, ainda durante a tarde [de sábado], a ação da GNR foi essencial para permitir que tivessem sido resgatados, com vida, a maior parte dos cães. Lamentavelmente, a dimensão do fogo e a grande concentração de animais naquele local, impediram que tivesse sido possível resgatar todos os animais com vida, tendo sido recuperados alguns já sem vida", lê-se na nota.

Uma petição a pedir "justiça pela falta de prestação de auxílio aos animais do canil cantinho 4 patas em Santo Tirso", consumido pelas chamas durante a madrugada de hoje, reuniu já mais de 45.000 assinaturas.

A associação Animal solicitou  ao Governo e ao parlamento que sejam apuradas responsabilidades no caso das mortes de animais naquele abrigo particular em Santo Tirso.

Ver comentários