Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Denúncia de pai abre investigação

Paulo Guiomar, acusado de sequestro da filha Alice, alega que "quis proteger a menor".
Pedro F. Guerreiro e Rui Pando Gomes 9 de Maio de 2015 às 19:12
Paulo Guiomar ontem no debate instrutório, um momento captado através da janela do tribunal
Paulo Guiomar ontem no debate instrutório, um momento captado através da janela do tribunal FOTO: D.R.
O Ministério Público instaurou um novo processo-crime para investigar as denúncias de maus-tratos apontadas por Paulo Guiomar, o agente da Polícia Marítima de Tavira acusado do sequestro da filha Alice.

As denúncias são, aliás, apontadas pela defesa de Guiomar como principal razão para que este tenha levado a menor, atualmente com dez anos, para a Bélgica. "[O arguido] não tinha dúvidas de que a menor era vítima de maus- -tratos e foi à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens para os denunciar, mas esta entidade não quis ver o que estava a acontecer", disse ontem Ricardo Vieira, advogado de Guiomar, durante o debate instrutório, em Faro.

"Para o arguido só havia uma coisa a fazer: proteger a filha", referiu o advogado, que pede a alteração do crime de sequestro para subtração de menor.

Segundo o processo, que o CM consultou, Guiomar, antes de levar a menina, enviou a seguinte SMS à ex-mulher: "[Alice] não está protegida contigo. Até a situação ser esclarecida, fica a meu cargo (...)". A defesa alega que a mãe automedicava a filha, que não foi acompanhada pelo pediatra durante 3 anos. Questionada pelo CM, Carla Evangelista não quis comentar mas adiantou estar "tranquila quanto ao processo".

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)