Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Escola Agrícola de Odivelas acusada de maus tratos a animais

Diretor de escola da Pontinha nega acusações e afirma que denúncia terá sido feita com "má fé".
Marta Ferreira 7 de Dezembro de 2018 às 19:42
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha
Animais alegadamente pertencentes à Escola Agrícola na Pontinha

A Escola Agrícola Dom Dinis da Paiã, na Pontinha (Odivelas), está a ser acusada por alunos da própria instituição de maltratar os animais que tem a seu cargo.

Numa denúncia que chegou ao Correio da Manhã, a instituição é acusada de negligenciar os  animais ao fazê-los trabalhar "com lesões", nas aulas dadas a crianças. Estarão ainda subnutridos e com ferimentos que não são tratados em tempo útil. 

Em várias fotografias enviadas ao CM, que alegadamente mostram os animais ao cuidado da Escola, é possível observar cavalos visivelmente magros, com os ossos a fazerem-se notar.

"Não há osso que não se veja", escreve Marta Veiga, autora da denúncia, num email em que cita um dos alunos da Escola. Segundo a mesma, este não quer ser identificado "com medo de retaliações".

No texto é ainda relatado o caso de um cavalo, o Hino, que tinha um tumor no pescoço. O tumor terá evoluído tendo, posteriormente, o animal ficado com uma ferida exposta. A mesma, segundo a acusação deste aluno, não foi devidamente cuidada. A denúncia fala ainda de maus tratos a ovelhas.

Segundo a denúncia, o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR já se terá deslocado às instalações da escola, mas os documentos dos animais estariam "em ordem".

Diretor nega acusações

O Correio da Manhã contactou o diretor da Escola, José Aires Silva, que, confrontado com as acusações, negou quaisquer maus tratos aos animais ao cuidado da instituição e afirma que a denúncia partiu de "má fé ou falta de informação". 

"Esse tipo de denúncia não constitui novidade para nós. Vieram cá responsáveis de associações de defesa dos animais e não tiveram feedback negativo", apontou o diretor. 

Quanto às imagens, o diretor da Escola Agrícola Dom Dinis da Paiã afirma que não sabe se "correspondem" aos animais ao seu cuidado, mas que o facto de surgirem muito magros não significa que estejam subnutridos. "Um animal envelhecido pode apresentar características dessas [magreza]", concluiu. 

Confrontado com o cavalo Hino, José diz lembrar-se do animal e afirma que foi devidamente tratado, mas que "podia meter alguma confusão [a ferida aberta] a quem não estivesse habituado a lidar com este tipo de ferimentos".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)