Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Fugitivo aparece no funeral de primo morto por PSP

Moradores incentivam ajustes de contas e ameaçam matar polícias.
Tânia Laranjo 2 de Setembro de 2016 às 01:45
PSP, André Gomes, Pika, funeral, bairro do Cerco, jovem, morte, PSP
Saída da urna da igreja
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
PSP, André Gomes, Pika, funeral, bairro do Cerco, jovem, morte, PSP
Saída da urna da igreja
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
PSP, André Gomes, Pika, funeral, bairro do Cerco, jovem, morte, PSP
Saída da urna da igreja
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Homenagem ao jovem falecido
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Cortejo funebre pelo Bairro do Cerco
Marco ‘Pia’, o jovem de 19 anos que conduzia o Opel Astra roubado e que fugiu após ter abalroado um carro da PSP, no Porto, provocou ontem o caos no funeral do primo, ‘Pika’ – o jovem de 16 anos baleado por um agente da PSP.

A confusão instalou-se à hora de almoço quando o jovem, que está fugido, entrou na capela. Os amigos de ‘Pika’ revoltaram-se, já que o culpam de ter aliciado o primo a participar num assalto. Houve mesmo confrontos físicos e ‘Pia’ teve de ser escoltado até ao carro de uns amigos.

De manhã, outro momento de tensão no funeral que juntou centenas de jovens junto ao Bairro do Cerco. O pai de ‘Pika’, que está preso, foi autorizado a despedir-se do filho e foram deixadas no ar várias ameaças à polícia.

As cerimónias fúnebres foram marcadas por isso mesmo. Gritos de revolta contra os agentes da PSP, incentivos para que seja feita justiça popular. "Morte aos bófias" foi a frase mais ouvida, repetida pelos moradores e escrita em paredes e camisolas. Um apelo à violência que foi crescendo e acompanhou o cortejo fúnebre pelas ruas do bairro.

"Quero que seja feita justiça. Mas que todos paguem pelo que aconteceu. O polícia e também os que deixaram o meu filho no carro. Os amigos não fazem isto, não deixam um menor para trás", disse ao CM Maria de Lurdes, a mãe de ‘Pika’, que também não escondia a revolta.

O incidente que levou à morte do rapaz está agora a ser investigado pela Polícia Judiciária. Os agentes envolvidos na perseguição – que resultou numa vítima mortal – deverão ser interrogados. Ainda não há qualquer data para que tal aconteça.

Além de Marco ‘Pia’, outro jovem está a monte. Sabe-se já que se chama Armando e vive em Braga. Também costumava passar grandes temporadas no Bairro do Cerco, já que manteria uma relação com uma jovem que ali vive.
psp morto funeral fugitivo assalto polícias Gondomar Marco Pia Pika
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)