Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Homem tenta matar cunhado por não fechar portão de casa

Agressor, de 50 anos, pegou num machado e atingiu a vítima num maxilar e no pescoço. Caso aconteceu em Águeda.
Francisco Manuel e Nelson Rodrigues 5 de Março de 2019 às 10:01
Polícia Judiciária
Suspeito estava alcoolizado e agrediu a vítima, de 60 anos, com a parte oposta à zona de corte de um machado
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Suspeito estava alcoolizado e agrediu a vítima, de 60 anos, com a parte oposta à zona de corte de um machado
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária
Suspeito estava alcoolizado e agrediu a vítima, de 60 anos, com a parte oposta à zona de corte de um machado
Polícia Judiciária
As discussões entre os dois vizinhos, que são cunhados, já eram antigas. Apesar de viverem em casas separadas, em Arrancada do Vouga, Águeda, os dois homens partilham o mesmo portão para acederem às habitações.

Na quinta-feira à noite - e depois de um novo desentendimento por a vítima se ter esquecido de fechar o portão comum depois de ter entrado com o carro -, o arguido, alcoolizado, pegou num machado e desferiu-lhe várias pancadas num maxilar e no pescoço. Foi detido pela PJ e vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

O agressor, de 50 anos, foi indiciado por homicídio na forma tentada. A vítima, de 60, só não foi assassinada, uma vez que o seu filho se apercebeu da discussão e foi à rua em socorro do pai. Sem conseguir evitar os golpes, o jovem manietou e desarmou o tio, e só o libertou com a chegada da patrulha da GNR. O arguido foi depois entregue à Polícia Judiciária de Aveiro, que formalizou a detenção e o levou a um juiz de instrução criminal.

O homem que foi atingido sofreu ferimentos graves e foi transportado para o Hospital de Aveiro. Segundo o CM apurou, o estado de alcoolismo em que se encontrava o arguido evitou que este conseguisse fazer pontaria à cabeça da vítima com a parte de lâmina do machado. As pancadas foram feitas com a parte oposta à zona de corte.

O agressor, que é irmão da mulher da vítima, já está referenciado por agressões à mãe, com quem vive.
Ver comentários