Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Ida às prostitutas acaba em terror

Empresário alvo de extorsão e agressões. Julgamento em breve.
Fátima Vilaça 14 de Março de 2016 às 01:45
Vítima preparava-se para deixar a Quinta de S. José quando foi abordada e agredida pelo gerente e um segurança
Vítima preparava-se para deixar a Quinta de S. José quando foi abordada e agredida pelo gerente e um segurança FOTO: DR
Uma noite de diversão com prostitutas, numa casa de alterne em Palmeira, Braga, acabou em semanas de verdadeiro terror para um empresário de Vila Nova de Famalicão. O homem foi forçado a entregar dinheiro a um grupo, de que fazia parte o gerente do estabelecimento, sempre com a ameaça de que se não o fizesse a sua mulher iria ver fotografias suas com outras mulheres.

O grupo de quatro homens e uma mulher, que começa em breve a ser julgado em Braga, usou armas e violência para conseguir o dinheiro. Sacaram ao cliente cerca de 800 euros.

O terror começou a 15 de janeiro de 2014. Às 05h30 o empresário preparava-se para deixar a Quinta de S. José, em Braga, quando o gerente, Rui Sousa, acompanhado de um segurança, Hugo Carvalho, conhecido pela alcunha de ‘Gatuso’, o agrediu violentamente a murro e pontapé, exigindo-lhe o pagamento de 1400 euros do consumo da noite.

Sem nunca parar de o agredir, ‘Gatuso’ forçou o homem a entrar no seu Alfa Romeu, levando-o até um multibanco, na rua Mário de Almeida, em Braga, onde o obrigou a fazer um levantamento de 300 euros.

A partir desta data, e pelo menos até 27 de janeiro, ligou várias vezes para o telemóvel da vítima a exigir mais dinheiro. Nesse dia 27 de janeiro, acompanhado da namorada e de mais dois amigos, ‘Gatuso’ apontou uma arma ao empresário, forçando-o a assinar uma declaração de venda do seu carro. Pelo menos um dos arguidos está na cadeia.

prostitutas empresário agressões extorsão julgamento Palmeira Braga