Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Militar português morre em ataque terrorista no Mali

Sargento-Ajudante Paiva Benido era casado e tem duas filhas menores.
19 de Junho de 2017 às 11:59
Mali
Mali
Mali
Mali
Mali
Mali
Um militar português ao serviço da missão da União Europeia no Mali morreu na sequência de um ataque terrorista ocorrido domingo, nas imediações de Bamako, anunciou esta segunda-feira o Estado-Maior General das Forças Armadas.

A vítima tinha 42 anos, era natural de Valongo e prestava serviço no Comando de Pessoal no Porto, disse à Lusa fonte do Exército.

O Sargento-Ajudante Paiva Benido, casado e com duas filhas menores, integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, composto por 10 elementos.

Uma nota do Exército adianta que o militar morreu "devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes".

Outros militares ficaram feridos, "incluindo um português", que "já se encontra completamente recuperado", refere a mesma nota.

No Hotel Le Campement Kangaba, onde ocorreu o ataque, encontravam-se vários militares da Força Internacional de diversos países, entre os quais dois portugueses.

A família da vítima foi informada e está em cursos o apoio psicológico à mesma. Segundo o Estado-Maior-General das Forças Armadas o segundo militar saiu ileso.

O Sargento-Ajudante Paiva Benido é o vigésimo militar a morrer em missões exteriores de forças portuguesas desde 1992.

Detidos cinco suspeitos de ataque terrorista em Mali

Forças de segurança detiveram cinco homens suspeitos de terem participado no ataque do Daesh contra estrangeiros perpetrado no domingo nos arredores da capital do Mali, Bamako, durante o qual um militar português foi morto.

As detenções foram anunciadas pelo ministro da Saúde do Mali, o general Salif Traoré, segundo o qual pelo menos outros quatro atacantes foram mortos durante o ataque.

Marcelo Rebelo de Sousa lamenta morte de militar 

O Presidente da República lamentou a morte "prematura e trágica" de um militar português no Mali, na sequência de um ataque terrorista, e defendeu que a melhor homenagem será continuar o combate ao terrorismo."A morte prematura e trágica deste português, ao serviço da União Europeia, é um ataque aos valores democráticos em que todos acreditamos", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem publicada na página da Presidência.

Câmara de Valongo manifesta "profundo pesar" 

A câmara de Valongo manifestou "profundo pesar" e "toda a solidariedade" à família do militar português natural daquele concelho que morreu no Mali, na sequência de um ataque terrorista.

"Numa hora de profundo pesar, Valongo quer manifestar solidariedade à família deste homem que estava ao serviço da paz no Mali e foi vítima de um ato sem palavras. A câmara entrou em contacto com os familiares e está disponível para tudo o que a família necessite neste momento de sofrimento", disse à Lusa o presidente da câmara, José Manuel Ribeiro.
União Europeia no Mali Bamako Estado-Maior General das Forças Armadas política defesa
Ver comentários