Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Obras no posto da Quinta do Conde tramam sargento da GNR

Sargento-ajudante Alves com processo por beneficiar empresa.
Miguel Curado e Sérgio A. Vitorino 24 de Abril de 2019 às 01:30
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
GNR
O comandante do posto da GNR da Quinta do Conde, Sesimbra, sargento-ajudante Rogério Alves, está a braços com um processo disciplinar, após ter sido alvo de uma queixa-crime ao Ministério Público.

A denúncia anónima garante que o militar privilegiou uma empresa para a realização de obras no posto.

Contactada pelo CM, a GNR confirmou a abertura de um processo que, inicialmente, foi de averiguações, mas que agora, segundo uma comunicação interna do Comando Territorial de Setúbal (que tutela o posto da Quinta do Conde), a que o CM teve acesso, tem caráter disciplinar.

Em causa está uma queixa com cerca de dois meses, apresentada no DIAP da comarca de Sesimbra.

Perante a necessidade de realização de obras no posto territorial que comanda, e cujas instalações estão muito degradadas, o sargento-ajudante Rogério Alves terá, segundo indica o texto da queixa-crime, favorecido diretamente uma empresa.

O CM sabe que o adjunto do sargento já prestou depoimento, quer em tribunal quer no âmbito do processo disciplinar que lhe foi movido internamente, assumindo responsabilidade pela escolha da empresa, e isentando o superior de culpas.

Mesmo assim, as averiguações a Rogério Alves continuam. José Lopes, presidente da Associação Nacional de Sargentos da GNR, disse ao CM "não perceber o porquê destas denúncias sobre este militar".

"Esta é uma situação que põe em causa a imagem da GNR, e o próprio militar", concluiu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)