Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Pinto da Costa queixa-se de jornalista do CM com argumentos já derrotados

Em causa estão os incidentes ocorridos no primeiro dia do julgamento da Operação Fénix.
26 de Abril de 2017 às 21:34
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
Tânia Laranjo, Jornalista do CM alega ter sido empurrada por Pinto da Costa enquanto estava em direto
O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, volta a apresentar queixa contra a jornalista do Correio da Manhã, Tânia Laranjo, depois dos incidentes ocorridos no primeiro dia do julgamento Operação Fénix, quando a repórter disse em direto que tinha sido empurrada pelo dirigente dos azuis e brancos.

Pinto da Costa recorre agora à Comissão da Carteira Profissional dos Jornalistas depois de ter perdido a questão no Conselho Deontológico do Sindicato de Jornalistas (CDSJ). No documento daquele órgão é referido que "O CDSJ faz questão de considerar (...) que é absolutamente despropositada, quer pelo conteúdo quer pelo tom em que é proferida, a reação de Jorge Nuno Pinto da Costa ao acusar a jornalista Tânia Laranjo com as afirmações repetidas durante vários segundos: ‘Não seja mentirosa nem provocadora’. Por mais que se sentisse incomodado e mesmo violentado na sua dignidade e bom nome pela afirmação da jornalista, nada justifica o tom e o conteúdo da reacção", refere aquele conselho que acrescenta: "A qualidade das imagens não permite aferir de facto e com certeza absoluta se existiu intencionalidade por parte de Jorge Nuno Pinto da Costa em empurrar a jornalista Tânia Laranjo. De facto, é possível no vídeo mais extenso visualizar que a jornalista Tânia Laranjo embate contra um poste de publicidade, mas não há elementos que possam levar à conclusão de que tal ocorreu por uma atitude deliberada de Jorge Nuno Pinto da Costa ou se o embate se deveu às circunstâncias em que a reportagem estava a ser feita e de quer Jorge Nuno Pinto da Costa quer Tânia Laranjo estarem em movimento. Daí que o CDSJ não esteja em condições para concluir se a jornalista Tânia Laranjo violou qualquer artigo do Conselho Deontológico".

Depois desta decisão, Pinto da Costa volta agora a apresentar queixa a outra entidade, argumentando o mesmo que já havia feito no Conselho Deontológico.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)