Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Número de mortos nos fogos já é de 42

Um dos feridos graves na tragédia não resistiu. Chamas fizeram ainda 70 feridos, 14 dos quais em estado grave.
João Tavares, Pedro Zagacho Gonçalves, Catarina Correia Rocha, Manuel Colaço, Daniela Vilar Santos, Catarina Figueiredo, Natacha Nunes Costa, José Carlos Marques, Daniela Espírito Santo e Lusa 15 de Outubro de 2017 às 17:37
Carro dos bombeiros de Leiria destruído pelo incêndio no Pinhal de Leiria
Populares e bombeiros juntos no combate às chamas no Pinhal de Leiria
Carro dos bombeiros destruído pelo incêndio
Bombeiros combatem incêndio no Pinhal de Leiria
 Incêndio causa estragos no parque de campismo da Praia da Vieira, Marinha Grande
Proprietários das autocaravanas e tendas ardidas no parque campismo da Praia da Vieira
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital atingiu casas
Incêndio na localidade do Troviscal, Sertã
Incêndio lavra na localidade do Troviscal, na Sertã
Bombeiro em dificuldades no incêndio na Lousã
Bombeiros combatem chamas
Populares devastados com o incêndio em Leiria
Pinhal de Leiria foi consumido pelas chamas
Incêndio em Marinha Grande e São Pedro de Moel
Carro destruído pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Paisagem destruída pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Popular combate o incêndio no Pinhal de Leiria, na Marinha Grande
Bombeiros combatem o fogo no Pinhal de Leiria, Marinha Grande
Populares observam o incêndio na Praia da Vieira, Marinha Grande
Incêndio pinhal urbana das Gaeiras, Marinha Grande
Bombeiro combate incêndio
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Bombeiros combatem incêndio em Valença, concelho de Viana do Castelo
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão em Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão no concelho de Arganil
Chamas na estrada da beira EN17 Arganil
Incêndio ameaça habitações em Vila Nova de Poiares
 Incêndio atinge casas em Ponte Mocela, em Vila Nova de Poiares, Lousã
Populares correm durante o incêndio que lavra em Alcabideque , Condeixa-a-Nova
Incêndio na Ericeira incontrolável com 2 frentes ativas
Populares assutados com o incêndio em Santo Isidoro, Mafra
Incêndio em Vila Franca do Rosário, Mafra
Incêndio na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio na Sertã está incontrolável
Carro dos bombeiros de Leiria destruído pelo incêndio no Pinhal de Leiria
Populares e bombeiros juntos no combate às chamas no Pinhal de Leiria
Carro dos bombeiros destruído pelo incêndio
Bombeiros combatem incêndio no Pinhal de Leiria
 Incêndio causa estragos no parque de campismo da Praia da Vieira, Marinha Grande
Proprietários das autocaravanas e tendas ardidas no parque campismo da Praia da Vieira
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital atingiu casas
Incêndio na localidade do Troviscal, Sertã
Incêndio lavra na localidade do Troviscal, na Sertã
Bombeiro em dificuldades no incêndio na Lousã
Bombeiros combatem chamas
Populares devastados com o incêndio em Leiria
Pinhal de Leiria foi consumido pelas chamas
Incêndio em Marinha Grande e São Pedro de Moel
Carro destruído pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Paisagem destruída pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Popular combate o incêndio no Pinhal de Leiria, na Marinha Grande
Bombeiros combatem o fogo no Pinhal de Leiria, Marinha Grande
Populares observam o incêndio na Praia da Vieira, Marinha Grande
Incêndio pinhal urbana das Gaeiras, Marinha Grande
Bombeiro combate incêndio
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Bombeiros combatem incêndio em Valença, concelho de Viana do Castelo
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão em Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão no concelho de Arganil
Chamas na estrada da beira EN17 Arganil
Incêndio ameaça habitações em Vila Nova de Poiares
 Incêndio atinge casas em Ponte Mocela, em Vila Nova de Poiares, Lousã
Populares correm durante o incêndio que lavra em Alcabideque , Condeixa-a-Nova
Incêndio na Ericeira incontrolável com 2 frentes ativas
Populares assutados com o incêndio em Santo Isidoro, Mafra
Incêndio em Vila Franca do Rosário, Mafra
Incêndio na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio na Sertã está incontrolável
Carro dos bombeiros de Leiria destruído pelo incêndio no Pinhal de Leiria
Populares e bombeiros juntos no combate às chamas no Pinhal de Leiria
Carro dos bombeiros destruído pelo incêndio
Bombeiros combatem incêndio no Pinhal de Leiria
 Incêndio causa estragos no parque de campismo da Praia da Vieira, Marinha Grande
Proprietários das autocaravanas e tendas ardidas no parque campismo da Praia da Vieira
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital foi devastador
Incêndio em Oliveira do Hospital atingiu casas
Incêndio na localidade do Troviscal, Sertã
Incêndio lavra na localidade do Troviscal, na Sertã
Bombeiro em dificuldades no incêndio na Lousã
Bombeiros combatem chamas
Populares devastados com o incêndio em Leiria
Pinhal de Leiria foi consumido pelas chamas
Incêndio em Marinha Grande e São Pedro de Moel
Carro destruído pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Paisagem destruída pelo incêndio de Vieira de Leiria, Marinha Grande
 Popular combate o incêndio no Pinhal de Leiria, na Marinha Grande
Bombeiros combatem o fogo no Pinhal de Leiria, Marinha Grande
Populares observam o incêndio na Praia da Vieira, Marinha Grande
Incêndio pinhal urbana das Gaeiras, Marinha Grande
Bombeiro combate incêndio
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Habitação destruída pelo fogo na freguesia de Fraião em Braga
Bombeiros combatem incêndio em Valença, concelho de Viana do Castelo
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Popular combate as chamas em Moita da Serra, Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão em Arganil
Chamas junto da aldeia de Mucelão no concelho de Arganil
Chamas na estrada da beira EN17 Arganil
Incêndio ameaça habitações em Vila Nova de Poiares
 Incêndio atinge casas em Ponte Mocela, em Vila Nova de Poiares, Lousã
Populares correm durante o incêndio que lavra em Alcabideque , Condeixa-a-Nova
Incêndio na Ericeira incontrolável com 2 frentes ativas
Populares assutados com o incêndio em Santo Isidoro, Mafra
Incêndio em Vila Franca do Rosário, Mafra
Incêndio na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio lavra na Sertã
Incêndio na Sertã está incontrolável
O número de mortes causadas pelos incêndios florestais que assolaram o país desde domingo chegou às 42 pessoas, depois de um dos feridos graves de Carregal do Sal ter morrido no hospital.

No último balanço feito pela Proteção Civil, na terça-feira à noite, estavam confirmadas 41 vítimas mortais. Foi encontrado o corpo de uma idosa na manhã desta quarta-feira, em Vouzela, e chegou a pensar-se que seria mais uma vítima das chamas mas, ao que o CM apurou, trata-se de uma mulher que estava desaparecida há um ano e meio e que não morreu devido ao fogo.

Seis dos sete desaparecidos foram encontrados com vida e de boa saúde. O último desaparecido, de Pampilhosa da Serra, foi encontrado morto na terça-feira. Foi a 41.ª vítima mortal. 

Durante a tarde de segunda-feira, circularam informações de que uma das vítimas do fogo se trataria de um bebé de um mês, mas informação acabaram por se revelar infundadas. Não consta nenhum bebé na lista de vítimas do incêndio divulgada esta terça-feira.

Já na manhã de terça-feira, a Proteção Civil tinha indicado que há pelo menos 70 feridos, dos quais 15 são graves. Um destes feridos graves é bombeiro e há ainda outros 19 bombeiros com ferimentos ligeiros.

Foram ainda assistidas outras 40 pessoas, nos locais onde lavraram os incêndios.

No combate aos fogos de segunda-feira, apenas dois meios aéreos puderam ser utilizados devido às más condições atmosféricas. 

Os números são ainda provisórios e admite-se que o número de mortos ainda possa aumentar. 

Ministério Público abre inquéritos
O Ministério Público instaurou inquéritos autónomos nos Departamentos de Investigação e Ação Penal (DIAP) das comarcas onde ocorreram os incêndios registados desde domingo, disse esta segunda-feira à agência Lusa a Procuradoria-Geral da República (PGR).

"Na sequência das comunicações recebidas até ao momento, foram instaurados inquéritos nos DIAP das comarcas onde ocorreram os incêndios", refere uma resposta escrita enviada pela PGR.

"Assim, foram instaurados inquéritos autónomos por referência aos vários incêndios e respetivas consequências, sendo que o Ministério Público continua a acompanhar a situação, com vista a desencadear todos os procedimentos legalmente previstos que se mostrem adequados. Nas investigações, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária", acrescenta a PGR

Pelo menos 106 mortes em incêndios em quatro meses
Pelo menos 106 pessoas morreram nos últimos quatro meses nos incêndios florestais em Portugal, que no final de setembro tinham destruído mais de 215 mil hectares, equivalente ao território da Área Metropolitana do Porto.

Depois de um verão com temperaturas elevadas e muito pouca chuva, Portugal chegou a outubro com mais de 80% do território continental em seca severa, segundo o último Boletim Climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA, aliás, classificou o mês de setembro como o mais quente dos últimos 87 anos.

As condições meteorológicas excecionais fizeram o Governo prolongar este ano até final de outubro o período crítico do Sistema de Defesa da Floresta, que prevê a proibição de lançar foguetes e fazer queimadas e fogueiras nos espaços florestais, por causa das condições meteorológicas.

Foram também estas condições excecionais que ajudaram a dificultar o combate às chamas este ano, agravando as consequências como nunca na história do país, com um balanço negro a pelo menos 100 mortos (64 em junho e pelo menos 40 este fim de semana) e a 250 feridos.

E estas consequências inéditas, designadamente as dos incêndios na Região Centro, levaram mesmo a oposição a exigir que o primeiro-ministro, António Costa, assumisse consequências políticas da tragédia e a pedir a demissão da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

De lá até hoje, houve poucas mudanças na Proteção Civil: demitiu-se o assessor de comunicação, Fausto Coutinho, em julho. 

O comandante nacional da Proteção Civil, Rui Esteves, também saiu, mas por se ter tornado pública a informação de que fez a licenciatura com recurso a equivalências.

Mais de 500 ignições no domingo é número inaceitável
Os incêndios que deflagraram no domingo tiveram na origem "muita negligência", afirmou esta segunda-feira a adjunta de operações da Proteção Civil, que considerou inaceitável o número de 523 ignições.

Patrícia Gaspar afirmou que o número de mortos é provisório e que há zonas onde os meios de socorro ainda não conseguiram chegar, pelo que pode aumentar.

Entre as vítimas mortais estão pessoas que foram encontradas na via pública e pelo menos duas, em Penacova, foram encontradas dentro de um barracão de uso agrícola.

Patrícia Gaspar reforçou que o número de ignições no domingo "é inaceitável", salientando que "era preciso cuidado", uma vez que todo o continente estava em alerta vermelho de risco de incêndio, uma condição que se manterá até às 20h00 de terça-feira.

"Era difícil pedir mais a este dispositivo", considerou, lembrando que os meios em prontidão são mais reduzidos do que em relação à fase mais crítica do verão.

Ardeu 80% do Pinhal de Leiria
O presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Paulo Vicente, estimou hoje que cerca de 80% do Pinhal de Leiria tenha sido consumido pelas chamas, depois de ter alertado para a falta de limpeza desta mata.

Contactado pela agência Lusa, o autarca retratou que "cerca de 80% da manta verde do Pinhal de Leiria já ardeu" e alertou para "todas as consequências que isso acarreta".

Paulo Vicente referiu que se vive um "cenário devastador e dantesco" no concelho.

Alerta vermelho mantém-se até às 20h00 de terça-feira
A adjunta de operações nacional da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar afirmou esta segunda-feira que o alerta vermelho vai manter-se até às 20h00 de terça-feira, apesar das previsões de chuva.

A decisão de manter o alerta, ativado no domingo, foi tomada mesmo tendo em consideração a previsão de chuva para o resto do dia de hoje e para terça-feira.

Patrícia Gaspar indicou que chegam ainda esta segunda-feira a Portugal dois Canadair italianos, no âmbito do pedido de ajuda feito pelo país.

Portugal com o "pior dia do ano" em incêndios
Várias habitações arderam e várias povoações foram evacuadas devido aos incêndios de Monção, Seia e Lousã, segundo informação da adjunta de operações nacional da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar, pelas 17h30 de domingo.

Num 'briefing' à comunicação social por essa hora, a responsável da ANPC indicou ainda que arderam habitações em Monção (em Velhas, São Paio e Barbeita), em Vale de Cambrã ardeu um jardim de infância (Pintalhos) e na Lousã "várias habitações foram afetadas".

A porta-voz da Porteção Civil refere que todos os meios que o País dispõe estão no terreno.
Patrícia Gaspar Porteção Civil Portugal Proteção Civil acidentes e desastres incêndios
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)