Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Preço dos combustíveis sobe devido à greve. 1500 gasolineiras estão secas em Portugal

O estado de alerta prevê que militares, bombeiros e agentes da proteção civil, habilitados a conduzir pesados, sejam chamados a conduzir camiões. 
17 de Abril de 2019 às 12:23
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
 Bomba vende gasolina a 1,80 euros por litro em Sintra
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
 Bomba vende gasolina a 1,80 euros por litro em Sintra
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
 Bomba vende gasolina a 1,80 euros por litro em Sintra
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
Já há uma bomba em Sintra a vender gasolina a 1,80 por litro
O preço dos combustíveis está a disparar devido à greve dos motoristas de matérias perigosas. Uma bomba de combustível na Beloura, em Sintra, está a vender gasolina a 1,80 euros por litro.

O número habitual neste posto de combustível é de 1,75 euros, pelo que houve uma subida de cinco cêntimos por litro.

Segundo fonte oficial da BP, o preço dos combustíveis não se alterou devido à greve, correspondendo, desde há algum tempo, ao valor de 1,80 euros por litro à gasolina aditivada. 

O cenário de um País parado, sem combustíveis e sem certezas sobre a duração da greve dos motoristas de matérias perigosas, levou o Governo a declarar esta terça-feira, ao início da noite, o estado de "crise energética" até 21 de abril, em pleno período da Páscoa.

Serão reforçadas as equipas de segurança que, com escoltas, garantem que a distribuição de combustível decorre sem percalços. O estado de alerta prevê que militares, bombeiros e agentes da proteção civil, habilitados a conduzir pesados, sejam chamados a conduzir camiões. 
Beloura Sintra economia negócios e finanças energia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)