Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Segurança do Urban saltou a pés juntos sobre cabeça de vítima

Acusação diz que David Jardim só não matou André Reis porque este se protegeu instintivamente.
Magali Pinto 16 de Maio de 2018 às 01:30
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
André Reis e Magnusson Brandão foram agredidos na discoteca Urban
Pedro Inverno é acusado de agressões na discoteca Urban, em Lisboa
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
André Reis e Magnusson Brandão foram agredidos na discoteca Urban
Pedro Inverno é acusado de agressões na discoteca Urban, em Lisboa
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
Agressões na discoteca Urban, em Lisboa
André Reis e Magnusson Brandão foram agredidos na discoteca Urban
Pedro Inverno é acusado de agressões na discoteca Urban, em Lisboa
David Jardim, 30 anos, era um dos seguranças da PSG que estava a trabalhar na discoteca Urban Beach, na madrugada de 1 de novembro do ano passado, e foi aquele que protagonizou a imagem mais chocante - saltou com os dois pés em cima da cabeça de André Reis.

O Ministério Público, que acusou agora três seguranças de tentativa de homicídio, refere na acusação que "David Jardim agiu visando atingir o corpo do ofendido André Reis, saltando a pés juntos para cima da cabeça, admitindo que daquela conduta poderia advir a morte do ofendido, o que só não aconteceu em virtude de o ofendido instintivamente ter envolto os braços sobre aquela parte do corpo".

A acusação descreve atos violentos gratuitos contra dois jovens - Magnuson Brandão e André Reis - que estavam nas imediações do Urban. Um dos agressores, Pedro Inverno, é ex- -fuzileiro da Marinha e tinha uma navalha no bolso com a qual esfaqueou uma das vítimas. "Súbita e inesperadamente desferiu um soco no rosto de Magnuson Brandão, que o fez cair por terra. Com este no chão, o mesmo arguido retirou do bolso uma navalha e, empunhando-a, desferiu um golpe na coxa direita daquele ofendido", pode ler-se na acusação.

Pedro Inverno ainda correu atrás de um menor de 15 anos com a mesma navalha mas o jovem conseguiu fugir.
As duas vítimas foram levadas nessa madrugada para o Hospital de São José, Lisboa. Ambos tinham traumatismos na cabeça e outros ferimentos graves.

Inicialmente, Pedro Inverno e David Sousa ficaram em prisão preventiva. Agora, o primeiro está em domiciliária e o segundo sujeito a apresentações periódicas obrigatórias.

Jovem sofre traumatismo craniano      
O Ministério Público fez uma descrição pormenorizada dos ferimentos provocados aos dois jovens. "O ofendido Magnuson Brandão, para além da alteração da sua sensibilidade, sofreu um traumatismo craniano encefálico com perda de consciência, lesões na face e fratura dos ossos do nariz".

Já o ofendido André Reis sofreu traumatismo na cabeça com perda de consciência e traumatismo do ombro direito". Um dia depois das agressões graves, o CM falou com as vítimas. "Estávamos na rulote e começaram a espancar-nos do nada".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)