Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Terror dos Hangares acusado de 19 crimes

Homem responde por ameaças, ofensas à integridade física, danos, furtos e roubos.
João Mira Godinho 23 de Janeiro de 2019 às 09:02
Valter Macário tem cadastro por crimes sexuais
Habitação de Valter Macário ficou parcialmente destruída num incêndio e homem decidiu ocupar outra casa
Casa de Valter Macário ficou inabitável depois de fogo em setembro
Valter Macário tem cadastro por crimes sexuais
Habitação de Valter Macário ficou parcialmente destruída num incêndio e homem decidiu ocupar outra casa
Casa de Valter Macário ficou inabitável depois de fogo em setembro
Valter Macário tem cadastro por crimes sexuais
Habitação de Valter Macário ficou parcialmente destruída num incêndio e homem decidiu ocupar outra casa
Casa de Valter Macário ficou inabitável depois de fogo em setembro
O Ministério Público de Faro deduziu acusação contra Válter Macário por 19 crimes. O homem, que aterrorizava os núcleos habitacionais dos Hangares (onde morava) e do Farol, na ilha da Culatra, em Faro, vai responder por violação de domicílio, ameaças, ofensas à integridade física, danos, furtos e roubos, alguns deles agravados.

Já com antecedentes criminais, Válter Macário, de 32 anos, atacou diversos turistas e também residentes, entre 17 de julho e 30 de setembro de 2018, refere o Ministério Público, acrescentando que foram arquivadas diversas outras situações "suscetíveis de constituir crimes de ameaça, furto e ofensa à integridade física" que terão ocorrido no mesmo período mas relativamente aos quais as vítimas "não apresentaram queixa ou desistiram validamente das que apresentaram".

Havia mais de 30 queixas contra Válter Macário.

Durante o período em que espalhou o terror e causou um grande alarme social na ilha da Culatra, a casa do homem, nos Hangares, foi parcialmente consumida por um incêndio.

Como solução, Válter decidiu ocupar outra habitação no núcleo, onde viria a ser detido, a 1 de outubro, pela Polícia Marítima, por violação de domicílio. Presente, na altura, a tribunal, para primeiro interrogatório, encontra-se a aguardar o julgamento em prisão preventiva, como medida de coação.

A investigação ao caso foi dirigida pelo Ministério Público da 2ª secção de Faro do Departamento de Investigação e Ação Penal, coadjuvado pela Polícia Marítima.

PORMENORES 
Perícia médica
No âmbito do processo foi feita uma perícia psiquiátrica a Válter - que sofrerá de perturbação psíquica - e concluiu- -se que o homem é imputável, pelo que pode responder pelos crimes em tribunal.

Crime sexual
O homem cumpriu pena de 3 anos de prisão por um crime de tentativa de violação de uma alemã. É suspeito de ter violado uma polaca mas esta abandonou o País e o crime nunca se provou.

Nu e aos gritos
Em algumas ocasiões, Válter foi visto a percorrer os núcleos dos Hangares e do Farol, nu e aos gritos. Agredia e ameaçava as pessoas, em algumas ocasiões, com recurso a uma faca.
Ver comentários