Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Tiro de cabecilha skin em rival desencadeia vingança

‘Thor’, dos Hells Angels, recusou a formação de um grupo de skinheads no Algarve, em 2009, e Mário Machado baleou-o.
Henrique Machado e João C. Rodrigues 28 de Março de 2018 às 01:30
Mário Machado (ao centro) com motards alemães que estiveram em Portugal para ‘oficializar’ a fação portuguesa dos Bandidos. Grupo tem uma história  de rivalidade com os Hells Angels
Grupo de skinheads durante julgamento que decorreu em Monsanto
Hells Angels
Bandidos só chegaram à Europa nos últimos anos, mas já conquistaram território aos rivais
Mário Machado (ao centro) com motards alemães que estiveram em Portugal para ‘oficializar’ a fação portuguesa dos Bandidos. Grupo tem uma história  de rivalidade com os Hells Angels
Grupo de skinheads durante julgamento que decorreu em Monsanto
Hells Angels
Bandidos só chegaram à Europa nos últimos anos, mas já conquistaram território aos rivais
Mário Machado (ao centro) com motards alemães que estiveram em Portugal para ‘oficializar’ a fação portuguesa dos Bandidos. Grupo tem uma história  de rivalidade com os Hells Angels
Grupo de skinheads durante julgamento que decorreu em Monsanto
Hells Angels
Bandidos só chegaram à Europa nos últimos anos, mas já conquistaram território aos rivais
A guerra aberta entre Mário Machado, antigo chefe do movimento Portugal Hammerskins (PHS), e os Hells Angels já é antiga. E viveu o momento mais violento em 2009, quando Pedro Silva, conhecido por ‘Thor’ e chefe da fação Nomads -do conhecido grupo motard - no Algarve, se recusou a aceitar a formação de um grupo skinhead na região. Machado foi então ao Sul do País e, como ‘Thor’ se recusou a dialogar com ele, ter-lhe-á dado um tiro numa perna.

O chefe dos Hells Angels não apresentou queixa, mas não se esqueceu. E a vingança dos motards, por esse e outros motivos, como o facto de Mário Machado se ter entretanto decidido aliar aos Bandidos – rivais históricos dos Angels nos EUA e na Europa – foi servida à hora de almoço do último sábado. Quando Machado se ia reunir, num restaurante do Prior Velho, Loures, com chefes estrangeiros dos Bandidos, estes foram ali emboscados e agredidos com paus, barras de ferro e pedras.

O tiro de 2009 caiu em escutas telefónicas da Unidade Nacional Contraterrorismo da PJ, que na altura investigava Machado num processo de Loures por roubos e torturas a clientes de tráfico de droga. Os investigadores perceberam que o chefe skinhead fora ao Algarve com Bruno Monteiro, e que ali se encontraram com Nuno Cerejeira - outro conhecido skin – e que terá disparado sobre ‘Thor’. Só que a vítima não quis sequer colaborar com a investigação, tendo-se remetido ao silêncio.

Depois de ter sido afastado da PHS, nos anos em que esteve preso pelos crimes de Loures, Machado juntou-se aos Bandidos, oferecendo-se para os representar em Portugal através da fação Red & Gold. Os rivais Hells Angels não aceitaram e atacaram. A PJ e a PSP temem novos confrontos da extrema-direita nos próximos tempos.

Ataque à luz do dia deixa seis feridos em restaurante
O relógio marcava 12h50 quando, no sábado, dezenas de elementos dos Hells Angels chegaram à rua de Moçambique e bloquearam a circulação com carrinhas. Entraram na Mesa do Prior e espancaram quem surgiu pela frente.

Armados com facas, paus, barras de ferro e pedras, deixaram seis feridos para trás. Um deles, alemão, sofreu um golpe profundo e ainda luta pela vida no hospital.

Condenado por crimes violentos    
Mário Machado era o rosto dos Hammerskins Portugal – uma grupo de extrema-direita com motivações raciais. E foi enquanto chefe deste movimento que foi condenado a dez anos de cadeia, em cúmulo jurídico, por crimes de discriminação racial, posse de arma ilegal, agressões, ameaças e difamação (no caso a uma procuradora).

No tempo que esteve em Alcoentre, tirou o curso de Direito.

Guerra de negócios já dura há 50 anos  
‘Cortem um, sangramos todos’. Este é o mote dos Bandidos, um grupo de motards que nasceu em 1966, quando Donald Chambers decidiu fundar o seu próprio grupo de marginais. Dizia estar "aborrecido" com os outros clubes dos EUA.

O nome surgiu como homenagem aos criminosos mexicanos que não aceitavam qualquer lei, exceto a sua. Chambers foi preso, em 1972, pelo homicídio de dois traficantes de droga em El Paso, no Texas. As vítimas foram forçadas a cavar a própria sepultura antes de serem abatidas.

Nesta altura os Hells Angels já tinham 20 anos e milhares de membros de costa a costa. Os dois grupos entraram em guerra pelo território, mas sobretudo pelo negócio do tráfico de droga, o que levou a inúmeros homicídios nas últimas décadas. Os dois clubes continuaram a crescer e estão presentes em quase todo o Mundo.

PORMENORES
Red & Gold
Desde que saiu da cadeia, Mário Machado associou-se aos Bandidos e criou um ‘capítulo’ da organização em Portugal. Deu-lhe o nome de Red & Gold (vermelho e ouro).

Cinco fações dos ‘Anjos’
Os Hells Angels estão representados em Portugal desde 2002, tendo criado subgrupos em Lisboa, Porto, na Margem Sul, Algarve e Cascais.

Fundador perseguido
Seis elementos dos Hells Angels foram condenados em 2010 por ofensas à integridade física, sequestro, coação, roubo agravado e extorsão. A vítima foi um fundador do grupo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)