Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Trabalhadores da CP reivindicam medidas para a infraestrutura ferroviária

Plano de investimento é de cerca de 45 milhões de euros.
27 de Junho de 2019 às 18:08
CP
Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP convocam greve
CP
Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP convocam greve
CP
Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP convocam greve
A Comissão de Trabalhadores (CT) da CP - Comboios de Portugal pediu esta quinta-feira mais medidas, que abranjam também a infraestrutura, depois de o Governo ter anunciado um plano de investimentos do Governo na operadora e na EMEF.

Em comunicado, a estrutura diz que "a batalha da reintegração da EMEF" (Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário) "está a ser ganha". No entanto, "para ganharmos a guerra, falta ainda a empresa de infraestruturas ferroviárias, a ex- REFER" (e atual Infraestruturas de Portugal), salienta a CT.

O plano de investimento de 45 milhões de euros para recuperar "material circulante encostado" e contratar 187 trabalhadores para a CP e a EMEF foi anunciado pelo ministro das Infraestruturas e Habitação.

Pedro Nuno Santos revelou ainda que o executivo pretende "iniciar o processo de fusão" entre a empresa pública de transporte por caminhos-de-ferro e a empresa de manutenção do material circulante para "otimização dos recursos e melhor articulação".

A CT realça que "o regresso da EMEF à CP resulta de dezenas de anos de luta dos trabalhadores ferroviários que continuam a lutar pelo investimento no caminho-de-ferro e admissão de mais trabalhadores. Só assim a empresa pública CP está em condições para satisfazer com fiabilidade, a mobilidade e a obrigatoriedade do serviço público aos utentes", lê-se no mesmo comunicado.

A CT "vê com agrado a decisão", mas lamenta "que ela tenha sido em final de legislatura".

"Não é vergonha para o governo de António Costa reconhecer que a política adotada pelo Partido Socialista para o sistema ferroviário em Portugal, é errada", garante a CT, que garante não aceitar que a CP e "o serviço público ferroviário, sejam geridos de acordo com os calendários e conveniências eleitorais dos partidos".
Ver comentários