Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Alunos prejudicados por falta de professores

Há turmas sem docentes desde o início do ano letivo. Regiões de Lisboa, Alentejo e Algarve são as mais afetadas.
Francisca Genésio 31 de Março de 2019 às 10:47
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Professor
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Professor
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Professor
Sala de aula
A carência de professores em Portugal, sentida especialmente a partir do 2º ciclo, está a prejudicar os alunos.

Uma reunião promovida este mês pela Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (Andaep), em que participaram "811 dirigentes", concluiu que há "várias turmas" sem docentes desde o início do ano.

Os 9º, 11º e 12º anos são os que mais preocupam, devido aos exames nacionais. Quando há turmas destes anos sem professores, os diretores optam por ‘desviar’ um docente que esteja a lecionar 7º e 8º anos, por exemplo. 

"A questão é que ao ajudar-se uns, prejudicam-se outros", explica Filinto Lima, presidente da Andaep.

Segundo o dirigente, a dificuldade em contratar ocorre "porque existem poucos professores". "Os cursos superiores de Educação Básica têm estado praticamente vazios", revela o presidente da Andaep, alertando que "as regiões de Lisboa, Alentejo e Algarve são as mais afetadas pela carência".

Outra das razões apontadas para a carência de docentes nestas regiões do País é o custo de vida.

"Professores contratados e que ocupam horários incompletos ganham pouco dinheiro. Alguns nem chegam aos 800 euros. Tendo em conta que o preço de um quarto em Lisboa já ronda os 500 euros, o que é que sobra?", critica Filinto Lima.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)