Boicote às horas extra na Justiça

Funcionários judiciais ameaçam não trabalhar para além do horário.
Por Bernardo Esteves|08.12.18

Os funcionários judiciais ameaçam trabalhar apenas as 35 horas semanais do horário se o Ministério da Justiça não ceder às suas reivindicações de revisão do estatuto. Na terça-feira há uma reunião com a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, mas o Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) não acredita num bom resultado.

"Tudo aponta para que a proposta do Governo não seja favorável e, se assim for, vamos recusar trabalhar para além do horário normal", revelou ao Correio da Manhã o dirigente António Albuquerque, acrescentando: "O sistema de Justiça vai sofrer muito com isto, porque se tem mantido à tona graças às milhares de horas oferecidas pelos funcionários judiciais".

O dirigente lamenta que "o Ministério da Justiça viva sob a ditadura do Ministério das Finanças, como a própria ministra admitiu recentemente, naquilo que foi um atirar da toalha ao chão".

Segundo o sindicato, a maior parte dos 6 mil funcionários ganha menos de 1000 euros líquidos. "Trabalhamos em tribunais sem condições, com amianto, a classe está envelhecida e muitos têm doenças profissionais", disse.

PORMENORES
750 promoções
Entre as reivindicações dos oficiais de justiça está um estatuto que reconheça a complexidade da função, o reforço de 1400 funcionários e a concretização de 750 promoções na carreira.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!